segunda-feira, junho 24, 2024

Giuseppe Oristanio revive Guimarães Rosa no monólogo “Pormenor de Ausência”, em curta temporada, no Teatro Dulcina

Giuseppe Oristanio revive Guimarães Rosa na peça “Pormenor de Ausência”, em curta temporada, no Teatro Dulcina – Rio de Janeiro. Com direção de Ernesto Piccolo e texto de Lívia Baião, o monólogo retrata os últimos anos de vida do escritor. 
.
Novembro de 1967, Guimarães Rosa está às voltas com problemas de saúde e se preparando para a sua posse na Academia Brasileira de Letras. É nesse contexto que são evocados os últimos anos de vida do escritor em “Pormenor de Ausência”, que retorna aos palcos para curta temporada no Teatro Dulcina, no Centro do Rio de Janeiro, de 8 de setembro a 1 de outubro, sextas e sábados, às 19h, e domingos, às 18h.

Com direção de Ernesto Piccolo, o monólogo é resultado de uma minuciosa pesquisa, realizada pela autora Lívia Baião, em seus acervos pessoais e suas obras. O texto é escrito em primeira pessoa e dissolve fronteiras entre biografia, ficção e ensaio historiográfico. Giuseppe Oristanio encarna um Rosa consciente de sua genialidade, obcecado pelo tema da morte e os desejos quase insuportáveis da imortalidade da Academia Brasileira de Letras. Um dilema pessoal que revela as fraquezas humanas raramente abordadas quando se pensa, se escreve ou se lê sobre o grande Rosa.
.
Apesar da saúde fragilizada, vemos ainda um escritor em franca atividade, criativo e de linguagem inovadora e exercendo suas funções de diplomata – muitas vezes com entusiasmo, outras tantas não – mas, e sempre, com o raciocínio afiado e comentários ferinos. Poliglota e erudito, Rosa viajava pelos sertões do Brasil no lombo de cavalos, conversando com os sertanejos, em busca de captar a linguagem e a forma brasileira de pensar e expressar seus pensamentos. Eleito para a Cadeira 2 da Academia, cujo patrono é Álvares de Azevedo, morreu 3 dias depois.

– Eu fiquei encantado quando Ernesto Piccolo me apresentou este texto porque a gente está falando da humanidade de um dos maiores escritores brasileiros. O espetáculo se propõe a mostrar uma figura próxima ao público, alguém com todas as fraquezas e emoções de um ser humano comum. A gente conhece muito das grandes figuras por meio dos seus feitos, mas, por trás de tudo isso, existe um ser humano como qualquer outro – revela Oristanio, que celebra 50 anos de carreira em seu primeiro monólogo.

revistaprosaversoearte.com - Giuseppe Oristanio revive Guimarães Rosa no monólogo “Pormenor de Ausência”, em curta temporada, no Teatro Dulcina
Giuseppe Oristanio revive Guimarães Rosa no monólogo ‘Pormenor de Ausência’ – foto ©Luisa Bacellar

FICHA TÉCNICA
Elenco: Giuseppe Oristanio | Texto: Lívia Baião | Direção: Ernesto Piccolo | Cenário: José Dias | Iluminação: Wilmar Olos e Celma Úngaro | Trilha sonora: Rodrigo Penna | Figurino e adereço: Suely Gerhardt | Fotografia: Daniel Ratto | Produção: Quequé Peixoto | Assistente de direção: Rafael Queiroz | Assessoria de imprensa: Carlos Pinho || Instagram: @pormenor_de_ausencia
.
SERVIÇO
“Pormenor de Ausência”
Local: Teatro Dulcina, rua Alcindo Guanabara, 17 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20031-130
Temporada: de 8 de setembro a 1 de outubro
Dias e horários: sexta e sábado, às 19h, e domingo, às 18h
Classificação: livre
Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada)
Vendas e mais informações: clique aqui.


ACOMPANHE NOSSAS REDES

DESTAQUES

 

ARTIGOS RECENTES