Uma mente brilhante - direção: Ron Howard (2001)

Filmes mostram que, quando comprometida com a formação do sujeito, a Educação tem alto poder de transformação

“Educar é assumir um compromisso com a formação de um sujeito em sua integralidade, é trabalhar com a dimensão intelectual, mas também com a física, emocional, social e cultural. É considerar o estudante como o centro do processo de aprendizagem e partilhar a construção do conhecimento.” – Ana Luiza Basilio | CartaEducação

1 Uma mente brilhante (2001)
Este drama vencedor do Oscar é inspirado na vida do economista John Forbes Nash Jr., um homem brilhante atormentado pela esquizofrenia.

“Todos nós sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso, aprendemos sempre.”
– Paulo Freire, em “A importância do ato de ler: em três artigos que se completam”. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.

2. Preciosa – uma história de Esperança (2009)

A jovem Claireece “Preciosa” Jones tem uma vida marcada por abusos. Grávida de seu próprio pai pela segunda vez, humilhada pela mãe, sem saber ler nem escrever, a jovem vê possibilidades de mudança ao ser transferida para uma escola alternativa e conhecer a professora Rain, que a ajuda no resgate de sua identidade e autoestima.
Estrelado por: Gabourey Sidibe, Mo’Nique, Paula Patton
Direção: Lee Daniels

“Ninguém educa ninguém, ninguém se educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo.”
– Paulo Freire, no livro “Pedagogia do oprimido”. 9 ed., Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra. 1981.

3. Escritores da Liberdade (2007)

Baseado em uma história real, o filme conta a história da novata professora Erin Grunwell, que chega a uma escola marcada por separatismos e preconceitos raciais. Obstinada a mudar a realidade da escola e de seus estudantes, a docente parte das histórias dos jovens para promover transformação.
Estrelado por: Hilary Swank, Patrick Dempsey, Scott Glenn
Direção: Richard LaGravenese

 

4. A voz do coração (2003)

O professor Clément Mathieu assume a missão de ensinar música a crianças de um pensionato. Contrariando os métodos rígidos utilizados para conter as crianças indisciplinadas, o professor estrutura um coral e modifica as relações existentes.
Estrelado por: Gérard Jugnot, François Berléand, Kad Merad
Direção: Christophe Barratier

 

5. O sorriso de Monalisa (2003)

A recém-formada Katherine Watson é contratada para lecionar História da Arte na Wellesley College, uma escola só para mulheres. Além de lecionar, a educadora começa a confrontar os valores conservadores da instituição e a mostrar às suas alunas, de famílias tradicionais, que elas poderiam querer mais do que se casar no futuro.

“A estrada da vida é uma reta marcada de encruzilhadas.
Caminhos certos e errados, encontros e desencontros
do começo ao fim.
Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.”
– Cora Coralina, em “Ainda Aninha…”, no livro “Vintém de cobre: meias confissões de Aninha”. 6ª ed., São Paulo: Global Editora, 1997.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Revista Prosa Verso e Arte

Literatura – Artes e fotografia – Educação – Cultura e sociedade – Saúde e bem-estar


COMENTÁRIOS