Nesse dia, você leu algo comovente e percebeu que não há mais medos a temer. Nem lágrimas a chorar. Nem cabeça a pender por vergonha. Que toda vez que pensou ter ofendido alguém era tudo coisa da sua cabeça e que, na verdade, todos amam você de todo o coração e isso jamais vai mudar. Que tudo e todos continuam vivos dentro de você. E que isso não torna nada menos real.
Que os toque suaves vão mudar você e ficar ao seu lado por muito mais tempo do que os grosseiros.
Que estar só significa que você se libertou. Que os velhos amantes sentem a sua falta e os novos querem você por perto e que aquele com quem está hoje é com quem deve estar. Que os arrepios que correm pelo seu braço são plumas dos anjos que dizem coisas nos seus ouvidos o tempo todo, basta escutar. Que tudo que você quer que aconteça vai acontecer, basta querer o bastante. Que toda vez que tiver um pensamento triste, você pode substituí-lo por um contente.
Que você controla completamente tudo isso.
Que as pessoas que fazem você rir são mais bonitas do que as pessoas bonitas. Que você ri mais do que chora. Que chorar faz bem. Que as pessoas que você odeia queriam que você parasse de chorar e você também.
Que os seus amigos são um reflexo do que você tem de melhor. Que você é mais do que a soma das coisas que sabe e da maneira como reage a essas coisas. Que às vezes dançar é mais importante do que escutar a música.
Que os momentos mais constrangedores e vergonhosos da sua vida são lembrados apenas por você. Que ninguém está julgando quando você entra numa sala e que, na verdade, todos estão apenas preocupados em saber se você os está julgando. Que o que você faz e a forma como ocupa o seu tempo são coisas muito mais importantes do que você imagina e deveriam ser tratadas assim. Que a diferença entre o trabalho e a arte é a paixão. Que nenhum dos dois define quem você é. Que é falando com estranhos que você faz amigos.
Que os dias ruins terminam, mas um sorriso pode dar a volta ao mundo. Que a vida se contradiz o tempo todo. Que é por isso que viver vale a pena.
Que a diferença entre dor e amor é tempo. Que o amor só é real na medida que você quer que seja. Que se você estiver bem sua aparência vai refletir, mas que o contrário nem sempre é verdade.
Que o sol vai se levantar todo dia e cabe a você fazer o mesmo. Que nada importa até este momento. Que o que você decidir agora, neste instante, vai mudar o futuro. Para sempre. Que a chuva é linda.
E você mais ainda.

— Iain S. Thomas, no livro “Escrevi isso pra você”. tradução de Ana Guadalupe. Sextante, 2018.

RECOMENDAMOS







Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar