segunda-feira, junho 17, 2024

‘No tempo da intolerância’ álbum póstumo de Elza Soares

“Eu nunca disse que a luta tinha terminado (…)”, assim diz Elza Soares na introdução de seu novo álbum póstumo “No Tempo Da Intolerância”. Lançado em 23 de junho pelo espólio da artista, no dia que Elza completaria 93 anos. O trabalho de estúdio traz grandes mulheres da música brasileira nas composições, como Pitty, Rita Lee, Dona Ivone Lara, Josyara, Isabela Moraes e a própria Elza.
.
‘No Tempo da Intolerância’: tesouros de Elza Soares viraram álbum inédito. Disco conta com músicas que descrevem como Elza enxergava o mundo, composições dela testemunhadas por um confidente silencioso – seu caderno de anotações. A maior parte das letras vem dessa espécie de diário. São páginas com ideias soltas, citações e pensamentos que acompanharam Elza por décadas.
.
Neste álbum póstumo, gravado meses antes de sua morte, em janeiro do ano passado, a artista — que se notabilizou por ser uma grande intérprete — apresentou sua faceta de compositora. “Quero dar voz às mulheres”. Esse foi o pedido que ela fez ao iniciar a produção. Elza interpretou 10 músicas inéditas, todas escolhidas por ela e compostas com mulheres. Entre as autoras está Rita Lee, que presentou a artista com a canção “Rainha Africana”, escrita especialmente para ela. Em sua biografia, ‘Outra Biografia’, Rita Lee detalha sobre o pedido de Elza: “Pouco antes de eu ser diagnosticada com câncer, ela me pediu uma música para gravar. A letra baixou em dez minutos. Pensei em sua figura majestosa e nasceu ‘Rainha Africana’”. Elza também ganhou uma melodia inédita de Dona Ivone Lara, intitulada “No Compasso da Vida”, que recebeu letra da própria Elza em parceria com Pedro Loureiro. Além dessas, ela também é autora de outras composições, muitas delas extraídas de seus cadernos e diários, como a faixa-título ‘No Tempo da Intolerância’, outra é “Coragem”; e “Pra Ver Se Melhora”, um contundente protesto contra a fome, miséria e inflação.  O novo disco é um encontro de gêneros que ela explorou em 70 anos de carreira. E essa versatilidade foi o que fez Elza recusar a coroa de “rainha do samba”. Passeia por ritmos como samba, black music, afrobeat, samba-funk, afoxé, bolero e salsa.

O registro começou a ser planejado logo após ‘Planeta Fome’ (2019), mas ficou um ano na gaveta após o falecimento da cantora, em janeiro do ano passado. Com produção de Rafael Ramos, o trabalho com dez faixas foi finalizado em parceria com Pedro Loureiro, empresário, e Vanessa Soares, neta da artista. Dentre os assuntos abordados no álbum, Elza fala de justiça social, direitos das mulheres e da população negra, traçando paralelos com os discos ‘Planeta Fome’ (2019), ‘Deus é Mulher’ (2018) e ‘A Mulher do Fim do Mundo’ (2015).
.
A capa de ‘No Tempo da Intolerância’ tem ilustração e arte criadas por Pedro Hansen a partir de foto de Pedro Loureiro. Ela expõe os nomes das dez músicas que fazem parte do álbum, gravadas por Elza Soares entre julho de 2021 e janeiro de 2022. O álbum tem produção de Rafael Ramos e sai pela gravadora Deck Disc.

revistaprosaversoearte.com - 'No tempo da intolerância' álbum póstumo de Elza Soares
Capa do álbum ‘No tempo da intolerância’ • Elza Soares • Selo Deck • 2023 | foto: Pedro Loureiro | Arte: Pedro Hansen

DISCO ‘NO TEMPO DA INTOLERÂNCIA’ • Elza Soares • Selo Deck • 2023
“Eu tenho o dom da vida, nós temos o dom da vida, tá bom? Beijo” (Elza Soares)
Canções / compositores
1. Intro: Justiça (Elza Soares)
2. No tempo da intolerância (Elza Soares, Pedro Loureiro, Jefferson Junior e Umberto Tavares)
3. Pra ver se melhora (Elza Soares, Pedro Loureiro, Jefferson Junior e Umberto Tavares)
4. Coragem (Elza Soares, Pedro Loureiro, Jefferson Junior e Umberto Tavares)
5. Te quiero (Elza Soares, Pedro Loureiro, Jefferson Junior e Umberto Tavares)
6. Rainha africana (Rita Lee e Roberto de Carvalho) / pra Elza Soares
7. Mulher pra mulher / “A voz triunfal” (Josyara* / Elza Soares)
8. Feminelza (Pitty)
9. Quem disse? (Isabela Moraes)
10. No compasso da vida (Dona Ivone Lara, Pedro Loureiro e Elza Soares)
– ficha técnica –
Elza Soares (voz) | Danilo Andrade (teclados, efeitos e elzatron – fx. 1) | Paulinho Guitarra (guitarra – fx. 1, 10) | Gabriel de Aquino (violão – fx. 1, 2, 3, 8, 9; omnichord – fx. 1; guitarra – fx. 2, 3, 4, 5, 7, 8, 10) | Kiko Dinuci (guitarra – fx. 9) | Josyara de Jêje (violão, guitarra, programação e vocais – fx. 7) | Rafael Ramos (omnichord – fx. 1; programação – fx. 1, 10; bumbo eletrônico – fx. 6) | João Rafael (baixo – fx. 2, 3, 4, 5, 7, 8, 10) | Alberto Continentino (contrabaixo – fx. 7, 9) | Luiz Otávio (rhodes – fx. 2, 3, 4, 5, 7, 8, 10; piano – fx. 2, 7, 8; hammond – fx. 2, 3, 4, 8, 10; clavinete – fx. 2, 3, 8, 10; synth – fx. 3; sintetizadores – fx. 7, 10; sintetizador – fx. 9) | Rodrigo Tavares (mini moog – fx. 2, 8, 9; bells – fx. 2, 8; glockenspiel – fx. 2, 3, 8; hammond – fx. 5, 6; piano – fx. 6, 9; sintetizadores – fx. 6; percussões orquestrais – fx. 6; mellotrom – fx. 9; clavinete – fx. 9) | Thiago Silva (bateria – fx. 2, 3, 4, 5, 7, 8, 9, 10) | Felipe Roseno (percussão – fx. 2, 3, 4, 5, 7, 8, 9, 10) | Kainã do Jêje (percussão – fx. 2, 3, 4, 5, 7, 8, 9) | Felipe Pacheco (violino – fx. 2, 3, 5, 6, 8, 9, 10; viola – fx. 2, 3, 5, 6, 8, 9, 10; violão cordas de aço – fx. 6) | Marcus Ribeiro (cello – fx. 2, 3, 5, 6, 8, 9, 10) | Diogo Gomes (trompete – fx. 2, 3, 7, 8, 10; flugelhorn – fx. 2, 8; trompete com surdina – fx. 2, 8) | Marlon Sette (trombone – fx. 2, 3, 7, 8, 10; trombone com surdina – fx. 2, 8) | Jorge Continentino (sax tenor – fx. 2, 3, 8; sax barítono – fx. 2, 7, 8; sax – fx. 10; clarinete – fx. 2, 8, 10) | Carlos Malta (sax barítono – fx. 4; sax tenor – fx. 4; flautas – fx. 5) || Coro (fx. 2, 3, 4, 5, 6, 8, 9, 10): Janeh Magalhães, Fael Magalhães, Rômulo Nascimento e Alinne Nascimento || *Josyara (co-produção – fx. 7) – texto “A voz triunfal” por Elza Soares || Faixa 9 – Contém texto extraído do filme “Literatura e Poesia Marginal” da Grito Filmes, com a voz de WJ || Arranjo de cordas: Felipe Pacheco (fx. 2, 3, 5, 6, 8, 9, 10) | Arranjo de metais: Diogo Gomes (fx. 2, 3, 8, 10) | Diogo Gomes e Josyara (fx. 7) || Produção musical: Rafael Ramos | Direção artística: Pedro Loureiro || Engenheiro de gravação: Matheus Gomes / Estúdio Tambor (RJ) | Gravações adicionais: Jorge Guerreiro | Mixagem: Vitor Farias / Estúdio Tambor (RJ) | 2º Engenheiro de mixagem: Matheus Gomes | Assistente de gravação e mixagem: Fábio Roberto | Masterização: Fábio Roberto e Matheus Gomes / Estúdio Tambor (RJ) ||  Capa / ilustração e design: Pedro Hansen / Deck | Foto de capa: Pedro Loureiro || Equipe ProjetarDireção de produção: Pedro Loureiro | Produção executiva: Vanessa Soares | Direção administrativa e financeira: Juliano Menegon | Marketing digital: Rafael Tex | Gestão, marketing e planejamento estratégico: Projetar Gestão Estratégica || Equipe DeckA&R: João Augusto | Assistentes de produção: Bruno Pegos e Tatiana Horácio || Gravado entre julho de 2021 e janeiro de 2022, no Estúdio Tambor – Rio de Janeiro/RJ || Selo: Deck Disc | Formato: CD / Digital | Ano: 2023 | Lançamento: 23 de junho | #* Ouça o álbum: clique aqui.
.
“Elza Soares cantou, lutou, amou e foi amada até o fim, e no fim, recomeçou” 

——–
Mais sobre o disco
ALOI
, André. Primeira pessoa: Pedro Loureiro, empresário de Elza Soares, compartilha relação e intimidade com a cantora. [Pedro Loureiro depoimento a André Aloi]. In: Harpesbazaar. 29.6.2023. Disponível no link. (acessado em 11.7.2023).
BRÊDA, Lucas. Saiba como Elza Soares fez seu último disco com letras de Rita Lee e Pitty. In: Folha de São Paulo, Ilustrada, 22 de junho de 2023. Disponível no link. (acessado em 11.7.2023).
DINIZ, Augusto. Álbum póstumo de Elza Soares tem tom político afiado e arranjos potentes. In: Carta Capital, 1.7.2023. Disponível no link. (acessado em 11.7.2023).
ESSINGER, Silvio. Elza Soares soa punk em disco póstumo com letras de Pitty e Rita Lee. In: O Globo, 23.6.2023. Disponível no link. (acessado em 11.7.2023).
IBARRA, Pedro. Disco póstumo de Elza Soares traz 10 faixas compostas pela cantora. In: Correio Braziliense, 2.7.2023. Disponível no link. (acessado em 11.7.2023).
TRAJANO, Anderson. “No Tempo Da Intolerância”: Conheça o novo álbum póstumo de Elza Soares. In: Lorena.R.7, 23 de junho de 2023. Disponível no link. (acessado em 11. 7.2023)

>> Elza Soares na rede: Instagram | Youtube | Linktree.
>> Deck na rede: Site | Instagram  | Youtube | Descdisk.
.
> Imagem capa da matéria: Elza Soares- foto ©Daryan Dornelles
.
Série: Discografia da Música Brasileira / MPB / Samba / Black music / Canção …
Publicado por ©Elfi Kürten Fenske


ACOMPANHE NOSSAS REDES

DESTAQUES

 

ARTIGOS RECENTES