domingo, julho 14, 2024

‘Flying Chicken’, álbum de Hamilton de Holanda, participação de Thiago Rabello e Salomão Soares

Hamilton de Holanda trabalha em diferentes frentes ao mesmo tempo, todas com o intuito de levar a cultura brasileira cada vez mais longe. O artista, bandolinista multipremiado, vencedor do Grammy, cidadão do mundo, com parcerias internacionais e nacionais de sucesso, lançou o álbum instrumental “Flying Chicken”. * Disco indicado ao Grammy Latino 2023, na categoria “Melhor Álbum de Jazz Latino”.
.
Logo vem a primeira pergunta, por que Flying chicken? Esse é o nome de uma das músicas do repertório que representa bem a estética e a concepção deste álbum cheio de novidades. A música foi feita em 2022, inspirada por um personagem que faz parte da história do artista, Ricardo ‘Frango’, o técnico de som que o acompanha Hamilton de Holanda desde a década de 1990. Além do bandolinista, o álbum conta com Salomão Soares nos teclados e Thiago ‘Big’ Rabello na bateria.

É sabido que galinhas e frangos não voam, no máximo a alguns centímetros de altura do chão. Aí entra a fantasia, o sonho, a arte : a galinha voadora simboliza a vontade de ultrapassar os limites dentro de um objetivo maior que é fazer música que gere bons sentimentos nas pessoas. Essa vontade de Hamilton é um tanto onírica e real ao mesmo tempo, ela é comandada por uma atitude diária em busca da beleza, das notas mais bonitas, das melodias mais emocionantes, de algo que realmente faça a diferença na vida das pessoas envolvidas no projeto e de todas que vão ouvir o álbum.
.
A música Flying Chicken é uma mistura de jazz, choro, groove e mais algumas coisas que não sabemos o nome. É um tema curto, com uma melodia em espiral que lembra aquelas músicas de desenho animado, tipo perseguição na floresta. Depois do tema, vem a improvisação, tudo criado na hora, sem overdub, como diria Hermeto Pascoal ‘não é cascata não’ – o vídeo pode provar. A descoberta de cada solo pode ser vivida pelo ouvinte. Ainda mais quando se tem a informação de que esses solos foram realmente espontâneos. Hamilton, Big e Salomão conseguem sempre se encontrar e reencontrar dentro de algo que eles nem sabem que vai acontecer, é mágico.

Sol e luz, como o próprio nome diz, é uma música iluminada pela esperança. É o fim e o recomeço, vem aquela sensação de que tudo vai dar certo. Ela foi feita em algum dia 31 de dezembro. HH foi fundo no sentimento que estava vivendo e conseguiu imprimir em acordes tudo de bom que vem à cabeça quando o sol nasce em uma nova alvorada, em um novo ano. Essa música tem uma característica bem peculiar na parte rítmica, ela tem 7 tempos. Assim como o nome dela tem 7 letras. As pessoas que a ouviram disseram que esse tema passa uma sensação de luz do sol quentinha, de aconchego, de gratidão.
.
Barulhinho de trem é uma música com espírito infantil. Ela tem inocência na melodia que parece musiquinha de ferrorama. Ao mesmo tempo, o timbre de órgão e o jeito de tocar do Salomão junto com a levada de batera do Big a levam para ouvidos adultos. Dá pra ver o trenzinho subindo e descendo. A parte rítmica tem como referência a ‘Pilantragem’ da década de 60, que foi uma espécie de movimento que misturava Samba, Rock e Soul. É só lembrar de Wilson Simonal e já vem a imagem deste balanço incrível que conquistou o Brasil e vários músicos estrangeiros.
.
Because of our strong love é uma canção instrumental, uma balada bem amorosa que Hamilton escreveu para sua esposa Cinara de Holanda. Canções de amor são feitas como presentes pra pessoa amada. Essa traz uma série de memórias dos bons momentos, e também dos outros não tão bons, mas que foram superados por causa da força do amor. É som das estrelas, é som de saudades vividas, cada pessoa que ouvir essa singela canção vai ver seu próprio filme com final feliz e a continuação dos próximos capítulos.

Paz no mundo nasceu em 2020, fatídico momento histórico que o mundo viveu o auge da pandemia de covid-19. Nesse ano, HH compôs 366 músicas, uma por dia, já que o ano foi bissexto. Essa foi feita inicialmente pra uma formação de canto coral, com baixo, tenor, contralto e soprano. Em 2022, diante da tragédia da guerra da Russia com a Ucrânia, o compositor se lembrou desse tema e o rebatizou como ‘Paz no mundo’, sua manifestação musical diante de tristes imagens de pessoas comuns, crianças e cidades perdendo a vida. A música não resolve todos os problemas do mundo, mas com certeza ajuda muito.
.
Endlessly é uma parceria de Hamilton com o contrabaixista e líder da banda Snarky Puppy, Michael League. Durante uma turnê pela Espanha junto a Chano Dominguez e Rubem Dantas, HH encontrou com Michael em seu estúdio para um ‘hang’ e, depois de tocarem algumas músicas conhecidas por ambos, criaram essa composição que tem uma particularidade que gerou seu nome : o primeiro acorde e o último são os mesmos, ou seja, o acorde que termina o tema, é o mesmo que recomeça, dando uma sensação de algo que se repete infinitamente. O estilo é algo que vem do Choro e encontra o mundo.
.
Erezin vem dos Afro Sambas de Baden Powell e Vinícius de Moraes. Durante uma live para estudantes e curiosos de música, Hamilton compôs em tempo real pra mostrar como é o processo de criação – um deles, obviamente, porque cada música tem sua própria viagem até chegar aos ouvidos das pessoas. Vitalidade e vigor são caraterísticas bem escancaradas nessa faixa que parece um vulcão, jorrando fogo pra todos os lados. Mas é um fogo que não queima, só esquenta o ambiente e mostra a importância da obra de Baden e Vinícius pra cultura do Brasil.

O som vai conduzir fecha o álbum em alto astral. Esse tema nasceu como Afro Samba Novo, com um tipo de melodia mântrica. Ela ganhou contornos rítmicos do Funk Carioca, ou indo mais fundo, de Maculelê. O compositor e cantor Xande de Pilares colocou uma letra que acabou dando nome à música. É ouvir e deixar o som conduzir, com energia positiva que isso aqui tá bom demais, como diria Xande.
.
A sonoridade deste álbum traz novidades para a música de Hamilton de Holanda. O perfeccionismo com o som do bandolim continua, a busca pelo som limpo, cristalino, amadeirado e quente é uma constante em seus discos – ressaltados pela mixagem de Thiago ‘Big’ Rabello e a masterização de André Dias. Nesse trabalho, HH tem junto com seu bandolim 10 cordas a batera groovada e valente de ‘Big’, que provoca o grupo a encontrar novos caminhos, e o piano rítmico e criativo de Salomão Soares. Em cada faixa, é possível ouvir timbres e sons novos tirados dos teclados usados por Salomão. É a mistura de sons atuais com outros mais antigos.
.
Os vídeos e fotografia foram feitos por Dani Gurgel, que além de ser uma cantora com carreira internacional, é uma diretora com sensibilidade e precisão nas edições, algo imprescindível em um trabalho com instrumentistas.
.
A capa e o design são assinados por Bruno Filipe e Pedro ‘TheZakMan’ Araujo, com um trabalho feito a partir da utilização de Inteligência Artificial.
.
Importante ressaltar a participação do produtor do disco, Marcos Portinari, em todas as etapas de feitura do álbum, seja fora do estúdio, ou durante o processo de gravação. É um trabalho realizado incessantemente para dar valor e importância a uma frase que aparece nos discos de HH : Moderno é tradição.

revistaprosaversoearte.com - 'Flying Chicken', álbum de Hamilton de Holanda, participação de Thiago Rabello e Salomão Soares
Capa do álbum ‘Flying Chicken’ • Hamilton de Holanda Trio • Selo Brasilianos Sony Music • 2023

ÁLBUM ‘FLYNG CHICKEN’ • Hamilton de Holanda Trio • Selo Brasilianos / Sony Music • 2023
canções / compositores
1. Flying chicken (Hamilton de Holanda)
2. Sol e luz (Hamilton de Holanda)
3. Barulhinho de trem (Hamilton de Holanda)
4. Because of our strong love (Hamilton de Holanda)
5. Paz no mundo (Hamilton de Holanda)
6. Endlessly (Hamilton de Holanda e Michael League)
7. Erezin (Hamilton de Holanda)
8. O som vai conduzir (Hamilton de Holanda e Xande de Pilares)
– ficha técnica –
Hamilton de Holanda (bandolim 10 cordas, palmas e voz) | Salomão Soares (piano rhodes, mini moog, nord) | Thiago ‘Big’ Rabello (bateria) | Ricardo ‘Frango’ (voz em ‘Flying Chicken’ – fx. 1) | Produção: Hamilton de Holanda & Marcos Portinari | Captação e mixagem: Thiago ‘Big’ Rabello | Gravado e mixado no Estúdio Da Pá Virada – São Paulo/SP | Assistentes de estúdio: Fred Pacheco e Silvio Romualdo | Assistente Brasilianos: Fellipe Cabral | Masterização: André Dias | Captação de vídeo, fotografia e edição de imagens: Dani Gurgel | Imagem capa e design: Bruno Filipe e Pedro ‘TheZakMan’ Araujo | * Disco indicado ao Grammy Latino 2023, na categoria “Melhor Álbum de Jazz Latino” | Selo: Brasilianos / Sony Music | Formato: CD / Digital | Ano: 2023 | Lançamento: 14 de abril  | #* Ouça o álbum: Clique aqui.

revistaprosaversoearte.com - 'Flying Chicken', álbum de Hamilton de Holanda, participação de Thiago Rabello e Salomão Soares
Hamilton de Holanda Trio – Hamilton (bandolim), Big Rabello (bateria) e Salomão Soares (teclados) — foto ©Dani Gurgel

LEIA TAMBÉM
:: ‘Samurai – a música de Djavan’, novo álbum do bandolinista e compositor Hamilton de Holanda
:: Guegué Medeiros e Salomão Soares celebram o forró no álbum ‘Baião de dois’
:: ‘Yatra-Tá’, álbum de Salomão Soares e Vanessa Moreno
.
.
Série: Discografia da Música Brasileira / MPB / Jazz /Jazz latino / Instrumental / Álbum
* Publicado por ©Elfi Kürten Fenske

 


ACOMPANHE NOSSAS REDES

DESTAQUES

 

ARTIGOS RECENTES