“O cenário era uma riqueza só, mas foi em 1973 que a música brasileira, sob um recorte temporal, se solta do passado, sem desgrudar-se dele, passeia pelo presente e salta para o futuro” – Célio Albuquerque

Veja quais são os álbuns lançados em 1973 que figuram entre os maiores da música brasileira. Entre os álbuns, 10* estão na lista “Os 100 maiores discos da música brasileira”, publicado em outubro de 2007, pela revista Rolling Stone Brasil, são eles: “Araçá azul”, de Caetano Veloso (Philips, 1973); “João Gilberto”, de João Gilberto (Polydor, 1973); “Krig-ha, bandolo!”, de Raul Seixas (Philips, 1973); “Matita Perê”, de Tom Jobim(Philips, 1973); “Milagre dos peixes”, de Milton Nascimento (Odeon, 1973); “Nelson Cavaquinho”, de Nelson Cavaquinho (Odeon, 1973); “Nervos de aço”, de Paulinho da Viola (Odeon, 1973); “Novos Baianos F.C.”, de Novos Baianos (Continental, 1973); “Pérola Negra”, de Luiz Melodia (Philips, 1973); “Quem é quem”, de João Donato (Odeon, 1973); “Secos & Molhados”. Secos & Molhados (Continental, 1973).

Claro que a lista de lançamentos não para aqui, tem muito mais, 1973 foi um ano especial para a música brasileira e a indústria fonográfica, vários artistas lançaram discos, entre eles estão: Agostinho dos Santos, Beth Carvalho, Carmen Costa, Clara Nunes, Clementina de Jesus, Chico Buarque, Dóris Monteiro, Elis Regina, Elton Medeiros, Eduardo Gudin, Edu Lobo, Egberto Gismonti, Elza Soares, Eumir Deodato, Fagner, Francis Hime, Gal Costa, Gonzaguinha, Hermeto Pascoal, Ismael Silva, Jamelão, João Bosco, Jorge Ben Jor, Leny Andrade, Luiz Bonfá, Marcos Valle, Naná Vasconcelos, Osmar Milito, Paulinho Nogueira, Simone, Sérgio Ricardo, Sérgio Sampaio, Taiguara, Tom Zé, Walter Franco, Zé Rodrix, e outros. Confira na lista abaixo:

Discos de 1973 – completam 50 anos em 2023

:: I acto. Zé Rodrix. Odeon, LP/1973. #ouça. O primeiro disco solo.
:: A música livre de Hermeto Paschoal. Hermeto Pascoal. Sinter, LP/1973. #ouça.
:: Abre a gira. Os Demônios da Garoa. Chantecler, LP/1973.
:: Agostinho dos Santos. Agostinho dos Santos. Continental, LP/1973. #ouça.
:: Alaíde Costa & Oscar Castro NevesAlaíde Costa e Oscar Castro Neves. Odeon, LP/1973. #ouça
:: Alvoroço. Leny Andrade. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Amazonas. Nana Vasconcelos. Philips, LP/1973. #ouça. Seu segundo álbum, mesclando o ritmo brasileiro ao folclore africano.
:: Antônio Carlos e Jocafi. Antônio Carlos e Jocafi. RCA Victor, LP/1973. #ouça
:: Antonio Marcos. Antonio Marcos. RCA Victor, LP/1973. #ouça.
:: Araçá azul*. Caetano Veloso. Philips Records, LP/1973. #ouça. É o quinto álbum de estúdio da carreira solo do cantor e compositor baiano, gravado ao longo de uma semana de trabalho em 1972 no Estúdio Eldorado em São Paulo – com Caetano sozinho no estúdio. Tornou-se um dos discos mais controversos e cultuados da MPB devido ao conteúdo altamente experimental de suas composições – influenciado, em parte, pela poética de invenção dos poetas concretistas paulistanos. O disco obteve um número recorde de devoluções quando de seu lançamento.
:: Bom balanço em bossa nova. Carlos Penha. AMC/Beverly, LP/1973. #ouça.
:: Brincando com as cordas. Codó. Itamaraty, LP/1973. #ouça.
:: Caminhada. Marília Medalha. RGE, LP/1973. #ouça.
:: Canto por um novo dia. Beth Carvalho. Tapecar, LP/1973. #ouça.
:: Carmen Costa 30 anos depois. Carmen Costa. RCA Victor, LP/1973.
:: Caymmi também é de rancho. Dorival Caymmi. Odeon, LP/1973.
:: Clara Nunes. Clara Nunes. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Chico canta. Chico Buarque. Philips, LP/1973. #ouça. || Calabar, o elogio da traiçãoChico Buarque. Philips, LP/1973. O disco conta com arranjos do músico Edu Lobo e é a trilha sonora da peça Calabar: o Elogio da Traição, de Chico Buarque e do poeta moçambicano Ruy Guerra. O conceito da peça e do disco baseia-se na história de Domingos Calabar, personagem histórico que se aliara aos holandeses contra os portugueses na época do Brasil Holandês. FONSECA, Rodrigo. Marco da censura no Brasil, Calabar faz 40 anos com nova montagem. In: O Globo, 10.5.2013. Disponível no link. (acessado em 22.12.2022). 
:: Danças brasileiras para piano. vol.3. Alberto Boavista. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Das barrancas do Rio Gavião. Elomar. Polygram/Philips, LP/1973. #ouça. Primeiro álbum da carreira. Este disco revelou algumas das mais belas composições do cancioneiro de Elomar. Apresentado por nada menos que Vinícius de Morais, ele desfia seu colar de contas preciosas.
:: Das terras de benvirá. Geraldo Vandré. Philips, LP/1973. #ouça. Gravado em Paris em 1970, durante o exílio do cantor e só lançado no Brasil em 1973.
:: Destaque. Djalma Dias. Som Livre, LP/1973. #ouça.
:: DonatoDeodato. João Donato e Eumir Deodato. Muse Records, LP/1973. #ouça.
:: Dor de CotoveloLupicínio Rodrigues. Rosicler, LP/1973. #ouça.
:: Doris. Dóris Monteiro. Odeon, LP/1973.
:: Doris, Miltinho e charme – vol. 4. Dóris Monteiro e Miltinho. Odeon, LP/1973.
:: Drama – 3º ato. Maria Bethânia. Philips, LP/1973. #ouça. Gravado ao vivo no Teatro da Praia, Rio de Janeiro/RJ.
:: É preciso cantar. Os Originais do Samba. RCA Victor, LP/1973. #ouça.
:: Eduardo Gudin. Eduardo Gudin. Odeon, LP/1973. O primeiro disco solo.
:: Edu Lobo. Edu Lobo. Odeon, LP/1973. #ouça. Produção de Dori Caymmi e direção musical do maestro Lindolfo Gaya.
:: Egberto Gismonti. Egberto Gismonti. Odeon, LP/1973.
:: Elio do Bandolim. Elio do Bandolim. Premier, LP/1973.#ouça.
:: Elis. Elis Regina. Phonogram, LP/1973. #ouça. É o décimo primeiro álbum de estúdio da cantora brasileira e o segundo disco com os arranjos de César Camargo Mariano.
:: Elton Medeiros. Elton Medeiros. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Elza Soares. Elza Soares. Odeon, LP/1973. #ouça. Produção musical de Lindolfo Gaya e arranjos de Laércio de Freitas. 
:: Eu disse adeus. Maria Creusa. RCA Victor, LP/1973. #ouça.
:: Eu quero é botar meu bloco na ruaSérgio Sampaio. Philips, LP/1973. #ouça. É o primeiro álbum de estúdio solo do cantor e compositor capixaba.
:: Fotografias. Taiguara. Odeon, LP/1973. #ouça. É o nono álbum de estúdio do cantor, compositor e instrumentista brasileiro.
:: Francis Hime. Francis Hime. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Frustrações. Agnaldo Timóteo. Odeon, LP/1973.
:: Guilherme Lamounier. Guilherme Lamounier. Atco Records, LP/1973. #ouça.
:: Homenagem a Ernesto Nazareth. Dilermando Reis. Continental, LP/1973. #ouça.
:: Índia. Gal Costa. Philips, LP/1973. #ouça.
:: Isaura Garcia. Isaura Garcia. Continental, LP/1973. #ouça.
:: Jacarandá. Luiz Bonfá. Ranwood (EUA)/ Som Livre (BR), LP/1973. #ouça.
:: Jamelão. Jamelão. Continental, LP/1973.
:: João Bosco. João Bosco. RCA Victor, 1973. #ouça.
:: João Gilberto*. João Gilberto. Polydor, LP/1973. #ouça. “Este é considerado seu álbum mais psicodélico: a instrumentação mínima, que consiste apenas em sua voz e violão e a percussão bastante esparsa de Sonny Carr, confere ao disco um sentido hipnótico. Isso se deve muito do contato que o músico teve com os Novos Baianos na época, que resultou no aclamado Acabou ‘Chorare’ (1972) deles, e que Gilberto soube pegar certa influência assim como lhes deu outra. Wendy Carlos serviu como engenheira de som do álbum”. (Mundo vinyl).
:: Jorge Ben – 10 anos depois. Jorge Ben Jor. Philips, LP/1973. #ouça. É o décimo álbum de estúdio, onde o cantor regravou os maiores sucessos dos seus primeiros 10 anos de carreira.
:: Krig-ha, bandolo!*. Raul Seixas. Philips Records, LP/1973. #ouça. É o primeiro álbum solo do cantor e compositor brasileiro.
:: Lamento de caboclo. Dominguinhos. Tropicana, LP/1973. #ouça.
:: Lugar comum. Paulo Diniz. Odeon, LP/1973.
:: Luiz Gonzaga Jr. Gonzaguinha. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Manera fru fru, manera: O último pau de arara. Raimundo Fagner. Polygram, LP/1973. #ouça. É o primeiro álbum de estúdio gravado pelo cantor, compositor e instrumentista cearense.
:: Marinheiro só. Clementina de Jesus. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Matança do porco. Som Imaginário. Odeon, LP/1973. #ouça. Grupo formado neste disco por Wagner Tiso (piano e órgão), Luiz Alves (contrabaixo), Robertinho Silva (bateria) e Fredera (guitarra) / participação Milton Nascimento / direção musical maestro Gaya. 
:: Matita Perê*. Tom Jobim. Philips/Phonogram, LP/1973. #ouça.
:: Milagre dos peixes*. Milton Nascimento. Odeon, LP/1973. #ouça. Várias canções do álbum tiveram suas letras censuradas pelo Regime militar no Brasil, porém Milton decidiu gravá-las mesmo sem letras. O disco é composto de 11 músicas, sendo 8 delas instrumentais.
:: Milton Banana. Milton Banana. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Nana Caymmi. Nana Caymmi. Trova (AR), LP/1973. #ouça.
:: Nem paletó, nem gravata. Osmar Milito. Atco Records, LP/1973. #ouça.
:: Nelson Cavaquinho*. Nelson Cavaquinho. Odeon, LP/1973. #ouça.Terceiro álbum do sambista carioca. Neste LP, foram gravados algumas das melhores composições do sambista, como “Juízo Final”, “Folhas Secas”, “A Flor e o Espinho”, “Rugas” e “Quando Eu Me Chamar Saudade”. Também nesse álbum, pela primeira vez, Nelson tocou cavaquinho, instrumento que havia abandonando pelo violão, no choro “Caminhando”.
:: Nervos de aço*. Paulinho da Viola. Odeon, LP/1973. #ouça. Sexto álbum de estúdio do sambista carioca.
:: Novos Baianos F.C.*, Novos Baianos. Continental, LP/1973. #ouça.
:: Odair José. Odair José. Polydor, LP/1973. #ouça.
:: Olhaí balândro… É bufo no birrolho grinza!Wilson Simonal. Philips, LP/1973. #ouça.
:: Origens (Pelo Telefone)Martinho da Vila. RCA Victor, LP/1973. #ouça.
:: Orgulho de um sambista. Jair Rodrigues. Philips, LP/1973. #ouça.
:: Ou não. Walter Franco. Continental, LP/1973. #ouça.
:: Paulinho Nogueira, violão e samba. Paulinho Nogueira. Continental, LP/1973.#ouça.
:: Pérola Negra*. Luiz Melodia. Philips Records, LP/1973. #ouça. É o o primeiro álbum lançado pelo cantor e compositor. A gravação do álbum veio após o sucesso das gravações de Gal Costa e Maria Bethânia em 1971 e 1972 das canções Pérola Negra e Estácio, Holy Estácio, respectivamente.
:: Phono 73 – O Canto de um Povo – vol.1, 2, 3. Polygram/Philips, LP/1973. #ouça vol. 1. #ouça vol. 3.  Álbum ao vivo de vários artistas.

:: Prelúdio. Eumir Deodato. CTI Records, LP/1973. #ouça.
:: Previsão do tempo. Marcos Valle. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Quando a Lapa era Lapa. Nelson Gonçalves. RCA Victor, LP/1973. #ouça.
:: Quem é quem*. João Donato. Odeon, LP/1973. #ouça. É o décimo álbum do compositor e pianista. O disco apresenta pela primeira vez a voz de Donato.
:: Rimas. Márcia. Odeon, LP/1973.
:: Roberto Carlos. Roberto Carlos. Columbia, LP/1973. #ouça.
:: Roberto Ribeiro. Roberto Ribeiro. Odeon, LP/1973.
:: Rosinha de Valença. Rosinha de Valença. Som Livre, LP/1973.
:: Samba da Bahia. Riachão, Batatinha e Panela. Fontana Records, LP/1973. #ouça.
:: Saraiva e seu sax soprano. Saraiva. Tropicana, LP/1973. #ouça.
:: Secos & Molhados*. Secos & Molhados. Continental, LP/1973. #ouça. Álbum de estreia do grupo homônimo.
:: Sérgio Ricardo. Sérgio Ricardo. Continental, LP/1973. #ouça.
:: Sérgio Valério. Sérgio Valério. Underground, LP/1973.
:: Se você jurar. Ismael Silva. RCA Victor, LP/1973. Série documento. #ouça.
:: Simone. Simone. Odeon, LP/1973. #ouça. É o álbum de estreia da cantora / simone.art
:: Solitude on guitar. Baden Powell. CBS, LP/1973. #ouça.
:: Sonho de malandro. Riachão. Desenbanco, LP/1973. #ouça.
:: Synval Silva. Synval Silva. RCA Victor, LP/1973. Série Documento. #ouça.
:: Tem mulher, tô lá. Jackson do Pandeiro. CBS, LP/1973.
:: Terra. Sá, Rodrix e Guarabyra. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Tim Maia. Tim Maia. Polydor, LP/1973. #ouça. É o quarto álbum de estúdio do cantor e compositor brasileiro.
:: Todos os olhos. Tom Zé. Continental, LP/1973. #ouça.
:: Toquinho & Guarnieri – Botequim. Toquinho, Marlene e Gianfrancesco Guarnieri. RGE, LP/1973.
:: Trio Mocotó. Trio Mocotó. RGE, LP/1973. #ouça. É o terceiro álbum do trio, formado por Fritz Escovão, João Parahyba e Nereu Gargalo.
:: Vanusa. Vanusa. Continental, LP/1973. #ouça.
:: Viagem. Marisa [Gata Mansa]. Odeon, LP/1973. #ouça.
:: Vivência. Banda de Pau e Corda. RCA Victor, LP/1973. #ouça.

Algumas fontes/ referências biográficas de pesquisa

1973 – Araçá Azul. In: Caetano completo (blog), s/data. Disponível no link. (acessado em 23.12.2022).
ALBUQUERQUE, Celio (org.). 1973 – O Ano que Reinventou a MPB. Sonora Editora, 2013; 2ª ed., 2017.
ALBUQUERQUE, Diego. Walter Franco – Ou Não [1973]. In: Por Trás da Vitrola, 7 de junho 2016. Disponível no link. (acessado em 23.12.2022).
BALEIRO, Zeca. 1973 – O ano que não terminou (para a música brasileira). In: revista Piauí, Folha, 8 de agosto de 1913. Disponível no link. (acessado em 29.12.2022).
CAVALCANTI, Ivan Luis Lima. “Ame, assuma e consuma”: canções, censura e crônicas sociais no Brasil de Odair José (1972- 1979).. (Dissertação Mestrado em História). Universidade Federal da Paraíba, UFPB, João Pessoa/PB, 2015. Disponível no link. (acessado em 29.12.2022).
DIETRICH, Peter. Aracá Azul: uma análise semiótica. (Dissertação Mestrado em Semiótica e Linguística). Universidade de São Paulo, 2003. Disponível no link. (acessado em 23.12.2022).
DINIZ, Sheyla Castro. Ou não (1973), de Walter Franco: contracultura, experimentalismo e vanguarda na MPB. In: ARJ – Art Research Journal: Revista de Pesquisa em Artes | v. 8, n. 2, 2021. Disponível no link. (acessado 23.12.2022).
ESSINGER, Silvio. Toda a criatividade da MPB de 1973. In: jornal Extra/Globo, 10.1.2013. Disponível no link. (acessado em 29.12.2022).
FAVARETTO, Celso. A contracultura, entre a curtição e o experimental. São Paulo: N-1, 2019.
FERREIRA, Mauro. Reeditado, ‘Alvoroço’ mostra Leny moderna às voltas com outras bossas. In: G1/Globo, 31.7.2011. Disponível no link. (acessado em 29.12.2022).
LISTA dos 100 maiores discos da música brasileira pela Rolling Stone Brasil. In: Raeyoumusic, outubro de 2007. Disponível no Link. (acessado em 22.12.2022).
MELLO, Décio Eduardo Martinez de.. Elomar trovador: tradições artísticas orais & indústria da cultura. Campo Grande: Editora Inovar, 2019. Disponível no link. (acessado em 29.12.2022).
SOUSA, Rainer. “Terra” e o sonho de uma contracultura brasileira. In: A música de: História pública da música do Brasil, v. 4, n. 1, 2022. Disponível no link. (acessado em 29.12.2022).
VIOLA, Kamille. Como foi recriado o ‘álbum branco’, de João Gilbero, ícone da bossa. In: revista UBC, 14.10.2021. Disponível no link. (acessado em 29.12.2022).
——
DOCUMENTÁRIO/SÉRIE. MPB 73 – O ano da reinvenção | série documental | 13 episódios | direção artística: João Faissal; roteiro: Celio Albuquerque | Sinopse: A série é inspirada pelo livro 1973 – O ano que reinventou a MPB, organizado por Celio e lançado em janeiro de 2014 com textos sobre 50 discos lançados naquele ano. Canal Brasil, 2018.
—–
Veja tambémCOLLECTORS_ Os melhores discos de todos os tempos: 1973. In: Collectors, 11/2015. Disponível no link. (acessado em 22.12.2022).
© Pesquisa, seleção, edição e organização: Elfi Kürten Fenske

RECOMENDAMOS







Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar