Ennio Morricone - foto ©John Carpenter

O lendário Ennio Morricone, compositor de algumas das maiores trilhas sonoras da história do cinema, nos deixou aos 91 anos. Mas o seu legado está registrado na sétima arte, e será ecoado, tocado e lembrado eternamente!

Morricone nasceu em 10 de novembro de 1928, em Roma, e começou a compor aos seis anos. Em 1961, aos 33 anos, estreou no cinema com a música de “O Fascista”, de Luciano Salce.

Morricone (compositor e arranjador) escreveu para outras centenas de filmes, programas de televisão, canções populares e orquestras, mas foi sua amizade com o diretor italiano Sergio Leone que lhe trouxe fama, com partituras para o gênero “spaghetti westerns” que consagrou Clint Eastwood na década de 1960.

Em seus quase 70 anos de carreira, Morricone compôs mais de 400 trilhas para cinema e televisão, além de mais de 100 obras clássicas.

Ennio ganhou dois Oscars e dezenas de outros prêmios, incluindo Globos de Ouro, Grammys e BAFTAs.

Em 2007, recebeu um Oscar honorário por sua abundante e elogiada carreira musical. Na ocasião, dedicou o prêmio à esposa Maria Travia, com quem era casado desde 1956 e considerava sua melhor crítica. “Ela não tem treinamento formal em música, mas julga meu trabalho como o público o faria. Ela é muito rígida.”

Ennio Morricone – foto AP – ©Boris Grdanoski
A seguir destacamos os filmes que receberam trilhas sonoras do maestro, são algumas das composições mais famosas do cinema mundial:

:: “Por um Punhado de Dólares” – direção: Sergio Leone (1964)
:: “Por uns Dólares a Mais” – direção: Sergio Leone (1965)
:: “Três Homens em Conflito” – direção: Sergio Leone (1966)
:: “A Batalha de Argel” – direção: Gillo Pontecorvo (1966)
:: “Teorema” – direção: Pier Paolo Pasolini (1968)
:: “Era uma Vez no Oeste” – direção: Sergio Leone (1968)
:: “Os Sicilianos” – direção: Henri Verneuil (1969)
:: “Queimada!” – direção: Gillo Pontecorvo (1969)
:: “O Pássaro das Plumas de Cristal” – direção: Dario Argento (1970)
:: “Quando Explode a Vingança” – direção: Sergio Leone (1971)
:: “Decameron” – direção: Pier Paolo Pasolini (1971)
:: “A Classe Operária vai para o Paraíso” – direção: Elio Petri (1971)
:: “Sacco e Vanzetti” – direção: Guiliano Montaldo (1971)
:: “Medo sobre a Cidade” – direção: Henri Verneuil (1974)
:: “Saló ou os 120 Dias de Sodoma” – direção: Pier Paolo Pasolini (1975)
:: “1900” – direção: Bernardo Bertolucci (1976)
:: “Cinzas no Paraíso” – direção: Terrence Malick (1978)
:: “A Gaiola das Loucas” – direção: Edouard Molinaro (1978)
:: “O Profissional” – direção: Georges Lautner (1981)
:: “Era uma Vez na América” – direção: Sergio Leone (1984)
:: “A Missão” – direção: Roland Joffé (1986)
:: “Os Intocáveis” – direção: Brian de Palma (1987)
:: “Busca Fenética” – direção: Roman Polanski (1987)
:: “Cinema Paradiso” – direção: Giuseppe Tornatore (1989)
:: “Ata-me!” – direção: Almodóvar (1989)
:: “Pecados de Guerra” – direção: Brian de Palma (1989)
:: “Bugsy” – direção: Barry Levinson (1991)
:: “A Cidade da Esperança” – direção: Roland Joffé (1992)
:: “A Lenda do Pianista do Mar” – direção: Giuseppe Tornatore (1998)
:: “Vatel, um Banquete para o Rei” – direção: Roland Joffé (2000)
:: “Missão: Marte” – direção: Brian de Palma (2000)
:: “Os Oito Odiados” – direção: Quentin Tarantino (2015)

Deixamos aqui algumas para você ouvir!
Ennio Morricone – foto ©Jelmer de Haas
Sergio Leone Greatest Western Music of All Time (2018 Remastered 𝐇𝐃 Audio)

Ouça Ennio Morricone – Grandes Trilhas

A despedida, o adeus do maestro!

Ennio Morricone – foto: Rodrigo Jimenez/EPA-EFE (2019)Em texto, maestro e compositor italiano se despede de amigos e família:

“Ennio Morricone está morto. Anuncio a todos os amigos que sempre estiveram próximos de mim e também aos que estão um pouco distantes e os saúdo com muito carinho.

Impossível nomear a todos. Mas uma lembrança especial vai para Peppuccio e Roberta, amigos fraternos muito presentes nos últimos anos de nossa vida. Há apenas uma razão que me leva a cumprimentar todos assim e a ter um funeral privado: não quero incomodá-los.

Saúdo calorosamente Inês, Laura, Sara, Enzo e Norbert por terem compartilhado grande parte da minha vida comigo e com minha família. Quero lembrar com carinho as minhas irmãs Adriana, Maria, Franca e seus entes queridos e que elas saibam o quanto eu as amava.

Uma saudação completa, intensa e profunda aos meus filhos Marco, Alessandra, Andrea, Giovanni, minha nora Monica e aos meus netos Francesca, Valentina, Francesco e Luca. Espero que eles entendam o quanto eu os amava.

Por último mas não menos importante (Maria). Renovo a você o extraordinário amor que nos uniu e que lamento abandonar. Para você, o adeus mais doloroso.”

– Ennio Morricone

Canal oficial no Youtube

:: Ouça outras trilhas e composições de Ennio Morricone no canal oficial do maestro

*com informações do G1.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar