segunda-feira, julho 15, 2024

‘Selvagem’, com texto de Mike Bartlett e direção de Susana Ribeiro estreia no Sesc Ipiranga

Com direção de Susana Ribeiro e texto inédito de Mike Bartlett, espetáculo ‘Selvagem’ busca uma saída para um mundo excessivamente digital. Thriller cômico tem protagonista inspirado no delator digital Edward Snowden e aborda, de maneira leve, uma realidade marcada pela vigilância intensiva
.
Publicada em 2016, a peça Selvagem, do celebrado inglês Mike Bartlett (Cock e Love, Love, Love), retrata um mundo extremamente digitalizado em que a informação vale muito. Dirigida por Susana Ribeiro e idealizada pela DeSúbito Cia e Ventania Cultural, com Erika Puga, Ricardo Henrique e Rodrigo Bolzan no elenco, a montagem estreia no teatro do Sesc Ipiranga dia 23 de setembro e fica em cartaz até 22 de outubro, com sessões às sextas e aos sábados, às 20h; e aos domingos e no feriado, às 18h.

Também estão previstas sessões especiais nos dias 28 de setembro e 5 de outubro, às quintas, às 20h; e uma apresentação para estudantes de escola também no dia 5 de outubro, às 15h. No dia 8 de outubro, domingo, às 18h, haverá interpretação em Libras.
.
Na trama, o protagonista Andrew (feito pelo ator Ricardo Henrique), inspirado em Edward Snowden (um ex-funcionário da Inteligência dos Estados Unidos que mostrou ao mundo como esse serviço era capaz de coletar dados de pessoas de todo o mundo, denunciando a dimensão do sistema de espionagem norte-americano), está confinado em um quarto de hotel após ter exposto um grande esquema de vigilância mantido por um país poderoso. Neste lugar, ele recebe a visita de duas figuras insólitas que lhe oferecem proteção e parecem ser mensageiras de uma organização como WikiLeaks. No entanto, não existe uma forma de confirmar a veracidade das informações ditas por essas figuras. Suas identidades também permanecem secretas.

Texto inédito no país
Nunca montado no Brasil, o texto Selvagem é do autor inglês bastante reverenciado no Brasil e mundo afora. Para Bartlett, a tecnologia digital corrói o conceito de privacidade e podemos estar vivendo à beira de um colapso das instituições globais. “Quando ele escreveu esse texto, o Snowden tinha acabado de fazer a denúncia de que os Estados Unidos controlavam um grande esquema de espionagem mundial via NSA (Agência de Segurança Nacional). Mas hoje já aceitamos essa realidade de ser monitorado e manipulado o tempo inteiro. Fornecemos nossos dados pessoais para grandes companhias de bom grado. Então, montar essa peça e ficar preso apenas na realidade dos fatos pode passar uma impressão de notícia velha. Queremos discutir como seguir vivendo nesse contexto”, conta a diretora Susana Ribeiro.

revistaprosaversoearte.com - 'Selvagem', com texto de Mike Bartlett e direção de Susana Ribeiro estreia no Sesc Ipiranga
Espetáculo ‘Selvagem’ – foto © Caio Oviedo.

Sobre a encenação
Apesar do tema soar espinhoso – mas incrivelmente atual – a ideia da equipe de criação era trazer leveza para esse assunto tão importante. “Fizemos um intenso trabalho de mesa para dar uma lapidada no texto. Queríamos trazer um humor mais próximo da nossa realidade. Os ingleses fazem comédia de um jeito bastante verborrágico e sarcástico, com várias repetições. Entendemos que os brasileiros não se comunicam dessa forma e, por esse motivo, editamos o que parecia excessivo para a nossa montagem”, detalha Susana.
.
Outra mudança importante para a trama foi no eixo do protagonista. Segundo a encenadora, na obra original ele é descrito de maneira mais fatalista e sóbria. No entanto, o grupo quis explorar uma saída mais otimista e esperançosa.

“Já estamos imersos nessa realidade em que a privacidade é quase um mito. Então, como podemos escapar dessa lógica? Precisamos seguir desejando, que é o que fazemos de mais orgânico. Quanto mais se sente acuado, mais o Andrew se volta para si e começa a se redescobrir. Pode-se dizer que ele está se voltando para seu lado selvagem”, comenta Rafael Bicudo, que assina a assistência de direção e o cenário – este último ao lado de José Fernando.
.
Para deixar o público imerso na narrativa, o cenário será como uma espécie de tabuleiro para o jogo travado entre os personagens. A partir dessa ideia, a iluminadora Mirella Brandi pensou em soluções em que a luz é quase autônoma. “Em Selvagem, ao invés de observar de longe, o público se sente dentro desta história quando guiado por este jogo de luz”, explica.
.
Da mesma maneira, o som contribui para criar um clima de suspense. “A música guiará os momentos de thriller e de humor. Além disso, alguns objetos serão microfonados, gerando uma espécie de lupa de aumento e uma sensação de constante vigilância”, afirma Gregory Slivar, responsável pela concepção sonora.

Sobre a diretora
Susana Ribeiro atuou, nos últimos 30 anos, em novelas e minisséries da TV Globo e séries na Netflix e Globoplay. Reside em São Paulo desde 2017. Em 2013, dirigiu “Conselho de Classe”, recebendo os prêmios APTR e Cesgranrio de melhor direção. Em 2015, o espetáculo se apresentou no Sesc Belenzinho e na Mostra BR, no Ibirapuera. Em 2016, dirigiu “Rent- O Musical”, recebendo indicação para o prêmio Reverência de melhor direção. Em 2018, comemorando 30 anos de sua companhia teatral carioca, a Cia dos Atores, participou da Ocupação Enxame no Sesc Pinheiros, com dois espetáculos de seu repertório: “Conselho de Classe” e “Insetos”. Em 2019, volta com nova temporada, protagonizando o musical “Cazuza – Pro Dia Nascer Feliz”. Em 2021, dirigiu o espetáculo/filme infantil “Quem Matou O Leão”, no Teatro Unimed online. Em 2022, atuou na remontagem paulista de “Ensina-me A Viver”.
.
Sinopse
Um ex-funcionário do Serviço de Inteligência Nacional revela ao mundo o uso corrosivo da vigilância em massa pelo governo e torna-se o maior inimigo do Estado. Refugiado num quarto de hotel, imerso numa realidade insólita, ele é visitado por uma mulher e um homem que prometem ajudá-lo. Nesse thriller cômico de Mike Bartlett, a informação é armadilha e a certeza é traiçoeira.

revistaprosaversoearte.com - 'Selvagem', com texto de Mike Bartlett e direção de Susana Ribeiro estreia no Sesc Ipiranga
Espetáculo ‘Selvagem’ – foto © Caio Oviedo

FICHA TÉCNICA
Texto: Mike Bartlett | Tradução: Mark Lambert e Susana Ribeiro | Direção: Susana Ribeiro | Elenco: Erika Puga, Ricardo Henrique e Rodrigo Bolzan | Concepção sonora: Gregory Slivar | Iluminação: Mirella Brandi | Cenário: José Fernando e Rafael Bicudo | Figurino: Ana Luiza Fay | Direção de movimento: Fabricio Licursi | Assistência de direção: Rafael Bicudo | Cenotecnia: José Dahora | Operação de luz: Sibila | Identidade visual: Guto Yamamoto | Fotos: Caio Oviedo | Assessoria de imprensa: Canal Aberto – Márcia Marques, Daniele Valério e Flávia Fontes | Colaboração (tradução): Erika Puga, Rafael Bicudo, Ricardo Henrique, Ricardo Inhan e Rodrigo Bolzan | Produção executiva: Julia Calegari / Ventania Cultural | Direção de produção: Mariana Novais / Ventania Cultural | Idealização: Ricardo Henrique / DeSúbito Cia e Ventania Cultural
.
SERVIÇO
Selvagem
De 23 de setembro a 22 de outubro, às sextas e aos sábados, às 20h; aos domingos e no feriado, às 18h | Dias 28 de setembro e 5 de outubro, quintas, às 20h
* Sessão para escolares no dia 5 de outubro, quinta, às 15h
* Sessão com tradução em LIBRAS no dia 8 de outubro.
Sesc Ipiranga – Teatro – Rua Bom Pastor, 822 – Ipiranga
Ingressos: R$40 (inteira), R$20 (meia-entrada) e R$12 (credencial plena). clique aqui.
Classificação: 14 anos
Duração: 70 minutos


ACOMPANHE NOSSAS REDES

DESTAQUES

 

ARTIGOS RECENTES