A cantora Patrícia Bastos e o pianista, compositor e arranjador Cristovão Bastos, autor da melodia, lançam no dia 5 de setembro, Dia da Amazônia, a canção ‘Yárica, letrada pelo poeta Joãozinho Gomes.

Dia da Amazônia, foi criada em 2007, instituída pela lei federal 11.621/2007, para conscientizar a população sobre a importância da Amazônia para o país e o mundo. A Amazônia é um dos patrimônios naturais mais valiosos de toda a humanidade e a maior reserva natural do planeta. Com sete milhões de quilômetros quadrados, sendo cinco milhões e meio de florestas, o bioma é fundamental para o equilíbrio ambiental e climático do planeta e a conservação dos recursos hídricos. Apesar de sua relevância, existem diversas atividades predatórias que colocam em risco a existência desse bioma, assim, falar e cantar a Amazônia é urgente e necessário.

E a canção celebra e ecoa essa força que vem da floresta amazônica “Nasci pajé nessa floresta / Na tribo das Icamiabas / Em ninhos tiro a minha sesta / Moro nos cachos da bacaba. A lua cola em minha testa / O sol conduz minha tiara / O arco-íris cor empresta / Pra eu pintar a minha cara”. Esses são os versos iniciais de Yárica, composição do poeta do Amapá Joãozinho Gomes e do compositor carioca Cristovão Bastos, que a cantora macapaense Patrícia Bastos lança em 5 de setembro como single nas plataformas digitais, além de um videoclipe nos canais no YouTube de Patrícia e Cristovão. O single tem produção musical de Dante Ozzetti, com quem a cantora já prepara o seu próximo álbum solo.

Patrícia Bastos – foto ©Elena Moccagatta

Patrícia, é atualmente uma das vozes amazônicas mais atuantes e importantes na música, apresentando ao mundo, a cultura do Amapá. Ao interpretar e gravar compositores de sua região, ritmos como o batuque e o marabaixo, a cantora desperta a atenção para o seu estado, que para o Brasil, ainda é muito distante. E como parte de suas andanças pela música, ela compõe a programação da Nave, no Rock in Rio 2022, ao lado do DJ indígena Nelson D, em um espetáculo no dia 10 de setembro. O palco será uma instalação 360º, com projeções de imagem e apresentações (voz + eletrônico), para mostrar uma Amazônia diversa, com a participação de artistas e ativistas.

Nascida em Macapá (AP), Patrícia Bastos herdou da mãe, Oneide Bastos, a paixão pela música. Ao longo de sua carreira, Patrícia recebeu o Prêmio Rumos Itaú Cultural (2010), prêmio Pixinguinha FUNARTE (2009), 25° Prêmio da Música Brasileira (2014) nas categorias “Melhor Cantora Regional” e “Melhor Álbum Regional” por seu CD “Zulusa”, além de ter sido indicada na categoria Revelação. Foi indicada ao 18° Grammy latino. Cada vez mais atuante na cena musical, registra parcerias com Dante Ozzetti, Ná Ozzetti, Arismar do Espírito Santo, Marcelo Preto, entre muitos outros. Em 2016, lançou Batom Bacaba, sexto cd, com direção musical de Dante Ozzetti, apresentando os ritmos do Amapá como o batuque, o marabaixo e o cacicó, de compositores amapaenses como Joãozinho Gomes e Paulo Bastos e também dos paulistas Dante Ozzetti e Luiz Tatit.

PATRÍCIA BASTOS apresenta o single “YÁRICA”

Patrícia Bastos apresenta o single “YÁRICA”. arte de capa Skipp

♪♫ Clique aqui e faça o pre-save. Assista também o vídeo clipe oficial.
Lançamento 5 de setembro (2022) em todas as plataformas musicais.

Eis a letra:

YÁRICA
(Cristovão Bastos e Joãozinho Gomes)
.
Nasci pajé nessa floresta
Na tribo das Icamiabas
Em ninhos tiro a minha sesta
Moro nos cachos da bacaba
.
A lua cola em minha testa
O sol conduz minha tiara
O arco-íris cor empresta
Pra eu pintar a minha cara
.
Toda a sumana da floresta
Possui um quê de arara rara
Isso em mim o riso atesta
Não abro mão de algazarra…
.
Eu canto, danço, faço festa
Para pessoa iluminada
Mas se o mau se manifesta
Me torno a onça pintada
.
Nasci pajé nessa floresta
Versão humana da Iara
A voz da tribo que contesta
Unida com os Nambiquara
.
Aqui no meio da floresta
Eu canto a cura na ocara
A saracura me empresta
Curare contra (a) caruara…

SOBRE OS AUTORES DE YÁRICA

Joãozinho Gomes – foto ©Daniel Kersys

JOÃOZINHO GOMES
Poeta, compositor, escritor e cantor, Joãozinho Gomes é filho da Amazônia paraense, nascido na capital [Belém] em 20 de outubro de 1957. Bem cedo, aos 12 anos de idade, já escreveu algo que “imaginei ser um poema”, diz ele. E, logo descobriu sua vocação para a poesia. Seu caminho foi guiado para a Música Popular Brasileira (MPB), e hoje é autor de mais de quinhentas canções compostas ao lado de parceiros, muitos deles já consagrados no cenário musical brasileiro, como: Chico Cézar, Lecy Brandão, Nilson Chaves, Jean Garfunkel, Jane Dubc, Enrico Di Miceli, Val Milhomem, Amadeu Cavalcante, Jane Duboc, Eudes Fraga, Walter Freitas e tantos outros artistas da nossa aldeia amazônica. Assim como parceiros de letra, muitos intérpretes consagrados também cantaram suas obras. O mais recente CD, lançado em novembro, Timbres e Temperos de Enrico Di Miceli, Joãozinho Gomes e Patrícia Bastos . 2021.

Cristovão Bastos – foto ©Piu Dip

CRISTOVÃO BASTOS
pianista, compositor e arranjador. Respeitado e admirado por grande parte da música brasileira, Cristovão Bastos, compositor, arranjador e pianista. Parceiro de grandes nomes como Chico Buarque – com quem compôs os clássicos “Todo o sentimento” e “Tua cantiga”, Aldir Blanc – com quem compôs mais de vinte composições, entre elas “Resposta ao tempo” e “Suave veneno” —, Paulo César Pinheiro, Paulinho da Viola, Elton Medeiros, Luciana Rabello, Abel Silva, Roberto Dídio, entre outros. Bastos tem em sua trajetória uma extensa discografia, criou e assinou arranjos para discos e shows de diversos artistas, como: Nana Caymmi, Edu Lobo, Elza Soares, Emílio Santiago, Fafá de Belém, Gal Costa, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Miúcha, Chico Buarque e outros. Em sua longa e profícua carreira, mais de 55 anos de trabalho, recebeu 13 prêmios, como compositor, arranjador e instrumentista. E as suas composições estão registradas nas vozes e instrumentos de grandes intérpretes da música. *saiba mais.

ficha técnica do single ‘Yárica’
Composição: “Yárica”, de Joãozinho Gomes (letra) e Cristovão Bastos (melodia)
Voz: Patrícia Bastos
Piano e arranjo: Cristovão Bastos
Produção musical: Dante Ozzetti
Produção executiva: Vanda Fiorani
Direção, fotografia e finalização vídeo: Luan Cardoso @luan.kardoso
Direção de fotografia: Helena Wolfenson
Direção de arte: Lilian Elefant
Mixagem: Alexandre Fontanetti
Assistente de mixagem: Pedro Luz
Elétrica/gaffer: Marcela Katzin
Edição: Beatriz Dantas
Consultoria de imagem: Suleima Claudia
Estilista: Rui dos Santos
Maquiagem: Kelly Lobo
Capa do single: Skipp
Gravado no Estúdio Space Blues – São Paulo/SP, em novembro de 2021.
Distribuição: @tratorebr
Fotos: (Patrícia) ©Elena Moccagatta / (Joãozinho Gomes) ©Sergio Malcher / (Cristovão) ©acervo Estúdio 185
Assessoria de imprensa: Debora Venturine
Comunicação nas redes sociais: Bruno Mont’Alverne e Elfi Kürten Fenske
—–
Fotos usadas na capa da matéria: Patrícia (©Elena Moccagatta); Joãozinho (©Sergio Malcher) e Cristovão (©acervo Estúdio 185).

****

RECOMENDAMOS







Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar