sexta-feira, junho 14, 2024

Maya Angelou – poemas

Prelúdio para uma despedida
Ao seu lado, de bruços,
minha pele nua resiste
ao toque.
No entanto, é você
quem se afasta.
O fato velado é:
o terrível medo da perda
não é suficiente para fazer
um amor em fuga
permanecer.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Numa época
Numa época de namoro escondido
O hoje prepara a ruína o amanhã
A mão esquerda não sabe o que a direita faz
Meu coração se rasga em dois.
.
Numa época de suspiros furtivos
Chegadas alegres e despedidas tristes
Meias verdades e mentiras inteiras
Um trovão ecoa na minha cabeça.
.
Numa época em que os reinos vêm até nós
A alegria é breve como brincadeira de verão
A felicidade concluiu sua corrida
Então, a dor se aproxima para o saque.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Para um marido
Às vezes, sua voz é um punho
……….Apertado na sua garganta
Golpeando incessantemente os fantasmas
……….No quarto,
Sua mão é um barco
……….talhado
Que desce o Nilo
……….Para apontar a tumba do Faraó.
.
Para mim, você é a África
……….No seu amanhecer mais brilhante.
O verde do Congo e
……….O tom salobro do cobre,
Um continente para construir
……….Com a força do Negro.
Eu me sento em casa e vejo isso tudo
……….Através de você.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Como eu posso mentir para você
agora enlace minha voz
com ilusões
de leveza
force dentro de
meus olhos de espelho
o frio disfarce
de tristes e sábias
decisões.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Quando penso sobre mim mesma
Quando penso sobre mim mesma,
Gargalho até quase morrer,
Minha vida tem sido uma grande piada,
Uma dança que anda,
Uma canção que fala,
Gargalho tanto que quase perco o ar,
Quando penso sobre mim mesma.
.
Sessenta anos no mundo dessa gente,
A criança para quem trabalho me chama de garota,
Eu respondo “Sim, senhora” por causa do emprego.
Muito orgulhosa para me curvar,
Muito pobre para me quebrar,
Gargalho até meu estômago doer,
Quando penso sobre mim mesma.
.
Meus pais podem me fazer cair na gargalhada,
Rir tanto até quase morrer,
As histórias que eles contam soam como mentiras,
Eles cultivam a fruta,
Mas só comem a casca,
Gargalho até começar a chorar,
Quando penso sobre meus pais.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Num dia claro, semana que vem
Num dia claro, semana que vem
Antes que a bomba exploda
Antes que o mundo acabe
……….Antes que eu morra
.
Todas as minhas lágrimas serão pó
Pó preto como cinzas
Sagrada como a barriga de Buda
……….Preto e quente e seco
.
Então a misericórdia cairá
Cairá sobre pequenos deuses
Cairá sobre crianças
……….Cairá dos céus
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Para uma lutadora da liberdade
Você toma um gole amargo.
Eu bebo as lágrimas que seus olhos se esforçam para segurar,
Uma xícara de borra, de meimendro mergulhado em palha.
Seu peito é quente,
Sua fúria é pesada e fria,
Durante o descanso da tarde, você sonha,
Eu escuto os gemidos, você morre mil mortes.
Quando tiras de cana açoitam o corpo
escuro e fraco, você sente o golpe.
Escuto na sua respiração.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Agora há muito tempo
Numa primavera inocente
sua voz era para mim
menos que pneus rodando
numa rua longe daqui.
.
Seu nome, talvez dito,
não era seguido por um coro
de batutas
sem ensaio
batendo contra meu
peito vazio.
.
Aquela primavera fria
foi encurtada pelo
seu verão, corajoso, impaciente
e tudo foi esquecido
exceto quando o silêncio
vira a chave
do meu quarto, no meio da noite
e vem dormir sobre o seu
travesseiro.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Venha. E seja meu amor
A estrada está cheia de carros grandes
indo rápido demais para lugar nenhum
E o pessoal anda fumando qualquer coisa que pegue fogo
Algumas pessoas cobrem suas vidas com uma taça de coquetel
E você senta e pensa
para qual lado ir.
Deixa comigo.
Venha. E seja meu amor.
.
Alguns profetas dizem que o mundo acabará amanhã.
Enquanto outros dizem que nós temos mais uma ou duas semanas
O jornal está cheio de todos os tipos de horrores desabrochando
E você senta e pensa
O que irá fazer.
Deixa comigo.
Venha. E seja meu amor.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Sentidos da insegurança
Eu não conseguia distinguir fato de ficção
………ou se meu sonho era real,
A única previsão correta
………neste mundo inteiro era você.
Eu tinha tocado suas feições centímetro a centímetro
………escutei o amor e arquei com o custo.
A conversa fiada me jogou no irreal
………e me encontrou sem sentidos.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Questionamento
Um dia
tomado pelo néctar do
agora
tece seu caminho entre
os anos
para encontrar-se na espelunca
da noite
para dormir e não ser
nunca mais visto.
.
Estarei eu menos
morta por escrever este
poema ou você ainda mais morto
porque o leu
depois de tantos anos.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Eu, mulher
Seu sorriso, delicado
rumor de paz.
Revoluções ensurdecedoras se aninhando no
decote dos
seus seios.
Reis-pedintes e sacerdotes de anéis vermelhos
buscam a glória no encontro
entre suas coxas.
A pegada dos Leões. O colo das Ovelhas.
.
………Suas lágrimas, joias
………arrumadas num diadema
………que fizeram com que os Faraós mergulhassem
………fundo no seio do
………Nilo. Spas do Sul fecham rápido
………suas portas à noite quando
………os ventos da morte sopram seu nome.
………A noiva dos furacões.…………..O enxame de ventos de verão.
.
Sua risada, ressoando mais alto
que os sinos das catedrais em ruínas.
Crianças tentam alcançar em seus dentes
modelos de como viver suas vidas.
O pisar forte dos pés. Um bando de mãos rápidas.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Canção para meus velhos
Meus Pais se sentam em bancos
………suas carnes contam cada paulada
………as ripas deixam entalhos escuros
bem fundo nos seus flancos murchos.
.
Eles acenam como velas quebradas
………encerados e queimados profundamente
………e dizem “É a compreensão
que faz o mundo girar.”
.
Nos seus rostos enrugados
………eu vejo o palanque do leilão
………as correntes e as filas de escravos
o chicote, o açoite e o tronco.
.
Meus pais falam em vozes que
………trituram minha verdade e
………dizem “É a nossa submissão
que faz o mundo girar.”
.
Eles usaram a maior astúcia
………inteligência e artimanha
………a humildade do Tio Tomming
e os sorrisos da Tia Jemima.
.
Eles riam para esconder o choro
………abreviaram os seus sonhos
………e carregaram um país no lombo
para escrever o blues com gritos.
.
Eu entendo o significado
………poderia vir e vem
………de viver à beira da morte
Eles mantiveram minha raça viva.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Reversos
Quantas vezes nós devemos
………da bunda à cabeça
Da mente ao rabo
………do flanco às bolas
………do pinto ao cotovelo
………do quadril ao dedo do pé
………da alma ao ombro
………confrontar a nós mesmos
………em nosso passado.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Recusa
Amado,
Em que outras vidas ou terras
Eu conheci seus lábios
Suas mãos
Sua gargalhada corajosa
Irreverente.
Aqueles doces excessos que
Eu adoro.
Qual garantia nós temos
De que nos encontraremos de novo,
Em outros mundos, em algum
Tempo futuro indefinido.
Eu resisto à pressa do meu corpo.
Sem a Promessa
De mais um doce encontro
Me recuso a morrer.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Sobre envelhecer
Quando você me vir sentada em silêncio,
Como um saco deixado na prateleira,
Não pense que eu precise do seu falatório.
Estou escutando a mim mesma.
Espere! Pare! Não tenha pena de mim!
Espere! Contenha sua simpatia!
É bom que você entenda,
Que eu não preciso disso!
.
Quando meus ossos estiverem duros e doloridos,
E meus pés não subirem as escadas,
Eu só pedirei um favor:
Não me traga uma cadeira de balanço.
.
Quando você me vir caminhando, tropeçando,
Não analise e entenda errado.
Porque cansaço não é igual à preguiça
E nem todo adeus é uma partida.
Continuo a mesma pessoa que era antes,
Com um pouco menos de cabelo e um queixo menor,
Muito menos pulmões e muito menos fôlego.
Mas ainda tenho sorte de poder inspirar.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Despertando em Nova York
Cortinas se forçam
contra o vento,
as crianças dormem,
trocando sonhos com
os anjos. A cidade
se força a acordar nas
vias do metrô; e
eu, alarmada, acordo como
um rumor de guerra,
me espreguiçando pelo amanhecer,
indesejada e ignorada.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Tempo que não se mede
O sol nasce ao meio-dia.
Seios jovens caem até a cintura enquanto
o ventre amadurece sem brilho,
tão tarde.
Os sonhos são acariciados, como se fossem
os cãezinhos estimados
incompreendidos e tão bem
amados.
.
Muito conhecimento
enruga o cerebelo,
mas pouco esclarece.
Avanços são
feitos em pedacinhos.
Grandes desejos se estendem
em anseios mesquinhos.
Você chegou, sorrindo,
mas tarde demais.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Recuperação
(PARA DUGALD)
Um último amor,
com uma conclusão adequada,
deveria cortar as asas,
impedindo novos voos.
.
Mas eu, agora,
roubada desse embaraço,
estou me levantando
e acelerando em direção à luz.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Criação impecável
Eu conheci uma Poeta
que se inspirava em
pássaros coloridos e palavras sussurradas,
na hesitação de um amante.
.
Uma folha caindo podia comovê-la.
Uma rosa murcha morrendo
podia fazê-la escrever por dias e noites
a prosa mais gratificante.
.
Ela encontrava um significado escondido
em cada calça que via,
então corria para casa para ficar sozinha
e escrever sobre romance.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Uma jornada atormentada
Não há barulho de aviso na porta
nem pés pesados pisando as tábuas do saguão.
Segura numa prisão escura, eu sei que
a luz desliza pelo
trabalho minucioso de uma mulher
sem dentes do Paquistão.
Gravuras felizes de
um tempo invisível são iluminadas.
Minha boca aberta
rejeita o ar denso e
os pulmões desaceleram. O invasor
avança e
se infiltra através das paredes de gesso.
Está diante da minha cela, entrando
pela fechadura, pressionando
o estofamento da porta.
Eu não posso gritar. Um osso
de medo me faz engasgar.
Está sobre mim. É o
amanhecer, com a Esperança
seu cavaleiro arrogante.
Minha mente, antes quieta
em seu cômodo invólucro, é forçada
a mirar suas visões arrebatadoras,
a deixá-las me invadir.
Eu sou forçada
para fora de mim mesma para
montar na luz e cavalgar junto com a Esperança.
Durante essas horas brilhantes
eu me agarro à expectativa, até a
escuridão chegar e me reivindicar
como sua. A Esperança desapareceu, o dia se foi
para seu lugar irreversível
e eu estou de volta aos laços
familiares da desconsolação.
A Melancolia rasteja ao meu redor
lambe lascivamente
entre os dedos dos meus pés, os meus tornozelos
e suga os fios do meu
cabelo. Perdoe meu inebriante
caso com a Esperança. Estou
novamente nos seus
braços gananciosos.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Insone
Há algumas noites em que
o sono se faz de tímido,
distante e desdenhoso.
E todas as artimanhas
que eu utilizo para conseguir
trazê-lo para o meu lado
são inúteis como o orgulho ferido,
e muito mais dolorosas.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Presciência
Se eu soubesse que o coração
quebra lentamente, se desmantela
em pedaços irreconhecíveis de
miséria,
.
Se eu soubesse que o coração vazaria,
babando sua seiva, com uma visibilidade
vulgar, sobre as salas de jantar
enfeitadas de estranhos,
.
Se eu soubesse que a solidão poderia
sufocar a respiração, afrouxando
e forçando a língua contra o
o céu da boca,
.
Se eu soubesse que a solidão formaria
queloides, enrolando-se pelo
corpo como uma cicatriz sinistra
e bela,
.
Se eu soubesse, ainda teria amado
você, sua beleza impetuosa e insolente,
seu rosto exageradamente cômico
e o seu conhecimento de doces
prazeres,
.
Mas a distância.
Teria deixado você inteiro e completo
para o divertimento daquelas que
desejassem mais e se importassem menos.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Mudanças
O conforto inconstante leva para longe
O que sabe
Não diz
O que pode
Não se faz
Voa de mim
Para agradar você.
.
A paz caprichosa não vai unir
Os nervos rompidos
A mente lacerada
O sonho destruído
O sono sem amor
Ela brinca agora
Dentro da sua fortaleza.
.
A confiança, aquele papagaio,
Está planejando agora
Como escapar
Olhe depressa
Está desaparecendo rapidamente
Amanhã voltará para mim.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Os velhos riem
Eles gastaram toda sua
cota de sorrisos forçados,
segurando seus lábios desse
e daquele jeito, embrulhando
as linhas entre
as sobrancelhas. Velhos
permitem que suas barrigas balancem como lentos
tamborins.
Os gritões
se levantam e se derramam
sobre o que quiserem.
Quando os velhos riem, libertam o mundo.
Eles se viram devagar, sabendo secretamente
o melhor e o pior
de se lembrar.
A saliva brilha nos
cantos de suas bocas,
suas cabeças sacodem
nos pescoços quebradiços, mas
seus colos
estão cheios de memórias.
Quando os velhos riem, consideram a promessa
da querida morte sem dor, e generosamente
perdoam a vida por ter acontecido
para eles.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

É amor
Parteiras e lençóis enrolados
sabem que parir é difícil
que morrer é cruel
e que viver é uma provação ali no meio.
.
Por que nós fazemos essa jornada, murmurando
como rumores entre as estrelas?
Há alguma dimensão perdida?
Seria o amor?
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Mudando
Me ocorre agora que
eu nunca mais te vi
sorrindo. Amigos
elogiam seu
humor rico, suas frases
rápidas e
surpreendentes. Para mim, sua perspicácia é
mortalmente afiada.
Mas eu nunca mais te peguei
simplesmente sorrindo, não mais.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

§

Lutar era natural
Lutar era natural,
a dor era real,
e o couro como chumbo
no fim do meu braço
era um ingresso para um passeio
no topo da colina.
………A luta era real.
.
A ardência da pomada
e o grito da multidão
por sangue no ringue,
e o toque do sino tinindo e
atravessando a
nuvem nos meus ouvidos,
………O boxe era real.
.
A corda nas minhas costas
e a almofada no chão,
a batida de quatro martelos,
novos ossos na minha mandíbula,
a proteção na minha boca,
minha língua começando a inchar.
A luta era vida.
O boxe era real.
A luta era real.
………Viver era… um inferno.
– Maya Angelou, no livro “Poesia completa”. tradução Lubi Prates. Astral Cultural, 2020

O LIVRO
MAYA ANGELOU: POESIA COMPLETA
Através de sua ilustre carreira na Literatura, Maya Angelou presenteou, curou e inspirou o mundo com suas palavras. Agora, a beleza e espírito dessas palavras vivem nesta nova e completa coleção de poesia que reflete e honra a vida notável da escritora. Todas as suas frases poéticas, todos os seus versos comoventes podem ser encontrados nas páginas deste volume – de suas reflexões sobre a vida afro-americana à celebração revolucionária da condição da mulher negra. Atemporal, essa compilação definitiva aquecerá os corações dos mais ardentes admiradores da Maya Angelou assim como introduzirá novos leitores à poeta legendária, ativista e professora – uma mulher extraordinária para a atualidade.
.

revistaprosaversoearte.com - Maya Angelou - poemas
Maya Angelou – Poesia completa

FICHA TÉCNICA
Título: Maya Angelou: Poesia completa
Título original: The complete poetry
Autora: Maya Angelou
Tradutora: Lubi Prates
Editora: Astral Cultural
Segmento: Poesia norte-americana
Ano 1ª edição: 2020
Páginas: 336
Bilíngue: Não
ISBN: 9786581438005
* Compre o livro. clique aqui.
**Como participante do Programa de Associados da Amazon, somos remuneradas pelas compras qualificadas efetuadas. Comprando pelo nosso link você colabora com o nosso trabalho.

SOBRE A AUTORA
MAYA ANGELOU, nascida Marguerite Ann Johnson, em 1928, foi uma das maiores ativistas negras dos Estados Unidos. Ao lado de Martin Luther King Jr. e Malcolm X, com quem manteve uma amizade próxima, lutou pelo fim da segregação racial em seu país, além de ter trabalhado em missões humanitárias pelo continente africano. Atuou em cinema, teatro e TV, mas foi como poeta e escritora que encontrou mais expressividade. Sua autobiografia “Eu sei por que o pássaro canta na gaiola”, um grande best-seller, deu voz a mulheres que sofrem abuso, preconceito e submissão. Entre suas obras, destaca-se também “Carta a minha filha”, o legado de seu trabalho em favor da vida, da igualdade e da liberdade. A escritora faleceu em 2014, aos 86 anos..


ACOMPANHE NOSSAS REDES

DESTAQUES

 

ARTIGOS RECENTES