segunda-feira, julho 15, 2024

Em cartaz: Othon Bastos celebra a vida e a carreira no monólogo ‘Não me entrego, não!’

Comemorando 91 anos de vida e mais de 70 de carreira, o ator Othon Bastos está no palco em seu primeiro monólogo “Não me entrego, não!”, escrito e dirigido por Flávio Marinho, relembrando suas vivências e fatos marcantes de sua trajetória.
.
Com a experiência de quem criou muitos tipos e começou histórias diversas tantas vezes ao longo da vida, o ator Othon Bastos repete o gesto com frescor e sobe ao palco realizando algo absolutamente novo. Aos 91 anos de vida e contabilizando mais de 70 anos de carreira, Othon estreia no Teatro Vannucci o inédito “Não me entrego, não!”, seu primeiro monólogo com texto escrito e dirigido por Flávio Marinho. Desenvolvido a partir de trocas entre os dois e de um calhamaço de escritos que Othon deixou sob a diligência de Flávio, seu amigo de décadas, o solo foi elaborado sob minuciosa pesquisa, levando em conta os principais acontecimentos da existência de Othon. A montagem chegou ao público como ensaio aberto a preço promocional nos dias 7, 8 e 9 de junho e fez sua estreia oficial em 14 de junho, às 20h, ficando em cartaz até o dia 28 de julho, sempre de sexta-feira a domingo.

Considerado o maior ator brasileiro vivo, Othon possui uma carreira de títulos marcantes no cinema (“Deus e o Diabo na Terra do Sol”, de Glauber Rocha) e no teatro (“Um grito parado no ar”, de Gianfrancesco Guarnieri) que são relembrados em cena, propondo uma reflexão sobre cada momento da sua trajetória. É o mural de uma vida dividido em blocos temáticostrabalho, amor, teatro, cinema, política, etc – cujas reflexões envolvem citações e referências de alguns dos autores mais importantes do mundo. A peça é uma lição de vida e de resiliência, de como enfrentar os duros obstáculos que se apresentam em nossa existência – e como superá-los.
.
O desejo de voltar à ribalta partiu do próprio Othon que, após assistir a montagem “Judy: o arco-íris é aqui”, ficou com a ideia de estar em cena relembrando suas histórias. “Eu pensei como é maravilhoso contar a vida de alguém no palco. E aí falei com o Flávio que eu queria fazer um espetáculo com ele sobre a minha vida – e entreguei umas 600 páginas de pensamentos escritos sobre coisas que eu gosto, autores, anotações… Ali tinha um resumo bom sobre mim. E fomos fazendo: ele leu, entendeu e foi montando o espetáculo. E é mais difícil me lembrar do texto, embora seja uma peça sobre a minha própria memória, porque ela chega editada, diferente das lembranças espontâneas”, confidencia Othon Bastos.

Com a missão de converter tantas lembranças e histórias, Flávio Marinho precisou condensar os anos de vivência do veterano ator em alguns minutos de espetáculo teatral. “À primeira vista, o que temos é o próprio Othon Bastos quem estará em cena contando histórias divertidas e dramáticas da sua vida pessoal e profissional. Isto seria, digamos, o esqueleto dramático da peça. Só que este esqueleto é recheado de diversas reflexões, frutos imediatos do tema abordado por Othon. Por exemplo, depois que ele encontra o amor da vida, com quem está casado há 57 anos, o texto passa a refletir o sentimento do amor através de diversas referências e citações”, adianta o autor e diretor.
.
O mesmo se dá após Othon mencionar um fato político: a peça envereda por historietas e pequenas pensatas políticas – e assim por diante. “O Flávio escreveu maravilhosamente bem. Começa nos meus 11, 12 anos e vem até hoje. Nada foi fácil para mim, muitos dos meus principais papéis eu entrei substituindo outro ator. Se alguém me perguntar como comecei minha carreira, eu digo que comecei substituindo o Walter Clark, que era meu colega de turma de teatro, e depois muitas outras coisas aconteceram. O Chico Xavier já dizia que se uma coisa é sua, ela te encontra, não é preciso se preocupar”, pondera o homenageado, que terá a companhia de sua “memória” em cena, a atriz Juliana Medela trazendo observações às suas falas. “A ideia de ter a minha memória em cena foi minha, achei que seria interessante ter uma espécie de Alexa em cena. Ela entra para fazer descrições”, diverte-se Othon, numa alusão pra lá de contemporânea à assistente virtual desenvolvida pela Amazon.
.
“É um momento único, mesmo: meu primeiro monólogo e sobre a minha própria vida. É uma experiência muito forte eu ter que ser o meu próprio centro em cena. Mas não trazemos nenhuma lembrança amarga, apenas as alegres e divertidas, para levar curiosidades que vivi ao longo desses anos todos ao público, que saberá o que se passa com um ator – que é uma pessoa comum. Mas, quando se recebe um dom como esse, você tem a capacidade de doar o que recebeu. Então é isso que eu quero, me doar – e que as pessoas me leiam. Quero que elas vejam quem eu sou e como sou”, finaliza Othon Bastos.

revistaprosaversoearte.com - Em cartaz: Othon Bastos celebra a vida e a carreira no monólogo 'Não me entrego, não!'
Othon Bastos celebra a vida e a carreira no monólogo ‘Não me entrego, não!’ | foto: Beti Niemeyer

FICHA TÉCNICA
Elenco: Othon Bastos | Texto e direção: Flavio Marinho | Diretora assistente e participação especial: Juliana Medela | Direção de arte: Ronald Teixeira | Trilha sonora: Liliane Secco | Iluminação: Paulo Cesar Medeiros | Programação visual: Gamba Júnior | Fotos: Beti Niemeyer | Visagismo: Fernando Ocazione | Alfaiataria: Macedo Leal | Coordenação de produção: Bianca De Felippes | Consultoria artística: José Dias | Assessoria de imprensa: Marrom Glacê Comunicação | Assessoria jurídica: Roberto Silva | Coordenador de redes sociais: Marcos Vinicius de Moraes | Assistente de diretor de arte: Pedro Stanford | Assistente de produção: Gabriela Newlands | Administração: Fábio Oliveira | Desenho de som e pperador: Vitor Granete | Operador de luz: Marco Cardi | Contrarregra: Paulo Ramos | Realização: Marinho d’Oliveira Produções Artísticas

revistaprosaversoearte.com - Em cartaz: Othon Bastos celebra a vida e a carreira no monólogo 'Não me entrego, não!'
Othon Bastos celebra a vida e a carreira no monólogo ‘Não me entrego, não!’ | foto: Beti Niemeyer

SERVIÇO
Espetáculo: “Não me entrego, não!”
Temporada
: 14 de junho até 28 de Julho (2024)
Sextas e Domingos às 20h00, Sábados às 20h30
Teatro Vanucci – Rua Marques São Vicente, 52 – 3º andar Loja 371, Rio de Janeiro – Rio de Janeiro
Ingressos: clique aqui.
.
> Siga na Rede:@othonbastosnoteatro | @flaviomarinhonoteatro

revistaprosaversoearte.com - Em cartaz: Othon Bastos celebra a vida e a carreira no monólogo 'Não me entrego, não!'
Othon Bastos celebra a vida e a carreira no monólogo ‘Não me entrego, não!’ | foto: Beti Niemeyer
revistaprosaversoearte.com - Em cartaz: Othon Bastos celebra a vida e a carreira no monólogo 'Não me entrego, não!'
Othon Bastos celebra a vida e a carreira no monólogo ‘Não me entrego, não!’ | foto: Beti Niemeyer

ACOMPANHE NOSSAS REDES

DESTAQUES

 

ARTIGOS RECENTES