pais e filho

– por Fabiana Futema*

O dia parece curto demais para dar conta de tantas tarefas? Quase não sobra tempo para brincar com os filhos? Quando sobra, a sensação é de cansaço e a vontade é de que a brincadeira acabe logo?

Pode ser que o tempo dedicado às brincadeiras fique maior se os pais desgrudarem um pouco de seus celulares. O brasileiro passa cerca de oito horas por dia conectado à internet, segundo a pesquisa Connected Life. Esse período é muito maior que o da média global de cinco horas.

Os brasileiros percebem que passam tempo demais envolvidos com dispositivos móveis. De acordo com a pesquisa, 39% dizem acreditar que passam mais tempo do que deveriam navegando na internet.

Com pais tão conectados, as crianças acabam se sentindo deixadas de lado. O estudo Digital Diaries, da AVG, mostrou que 42% dos filhos se sentem trocados pelos pais por celulares e outros dispositivos.

“Esse abandono por parte dos pais, conectados quase que exclusivamente com o digital, pode causar sérios danos na formação das novas gerações. São os pais que apresentam o mundo para a criança”, diz a pediatra, psicanalista e coordenadora do programa Dedica (Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente), Luci Pfeiffer.

Para incentivar os pais a passarem mais tempo brincando com os filhos, a rede Ri Happy lançou a campanha Modo Avião, que propõe que os adultos deixem o celular nessa função não terem outras distrações enquanto se divertem com as crianças. Dessa forma, poderão se focar melhor na brincadeira em vez de olhar para a tela de celular cada vez que ele vibrar ou chegar um alerta de e-mail recebido.

Para reforçar o uso do celular como modo distração, a rede deve promover sábados de brincadeiras em suas lojas em 2018. “Teremos também ações ao ar livre e eventos em parques, que vão estimular o brincar”, afirma Flávia Drummond, diretora de marketing da Ri Happy.

É bom lembrar que não é preciso de brinquedos para brincar. Criança precisa apenas de atenção (e imaginação). Não é à toa que elas se divertem tanto com caixas de papelão, tampas de panela e talheres. Qualquer objeto pode se transformar em brinquedo na mão de uma criança.

Flavia diz que os pais só precisam de tempo, espaço e atenção para a brincadeira. “É preciso priorizar as crianças e que os pais tenham disciplina para dar uma parada nos afazeres do trabalho ou doméstico.”

Sobre a campanha, ela diz que a proposta é deixar o celular no modo avião para outras funcionalidades do aparelho sejam aproveitadas, como tirar uma foto com a criança.

Para quem busca ideias para incrementar a brincadeira, uma dica é o livro Tempo Junto, de Patrícia Marinho, que oferece 100 ideias para os pais. As brincadeiras são divididas por faixa etária e por local – tem até para aquela hora chata do congestionamento.

“Quantas vezes você vê o final do dia chegar e sente culpa por não ter passado tempo de qualidade com os filhos? E se você parasse de reclamar da falta de tempo e usasse o tempo disponível para brincar? Eu resolvi fazer isto e foi daí que nasceu o livro”, escreveu ela.

Então que tão parar de reclamar da falta de tempo e simplesmente começar a brincar? Envie um e-mail contando como você brinca com seu filho para o blog Mãe Para Toda Obra.

Originalmente publicado no blog *Mãe Para Toda Obra/Veja.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar

COMENTÁRIOS