por Alberto Moby

É uma autobiografia? É um trabalho de crítica musical? Serão crônicas do cotidiano iluminadas por uma trilha sonora do que há de melhor na música brasileira com pitadas de música boa de todo canto do mundo? Quem ler “De Conversa Em Conversa”, da cantora, professora, escritora e pesquisadora Daniela Aragão (não necessariamente nesta ordem) certamente vai se deliciar com o passeio por um universo cultural e afetivo do qual não dá vontade de sair nunca mais.

Da escolha precisa das palavras à citação na hora certa de alguns dos versos mais bonitos da MPB; dos emocionantes fragmentos de memória às revelações sobre o processo criativo de compositores e arranjadores; dos percalços pelos quais passa o artista brasileiro ao reconhecimento internacional, tudo está ali, na escolha delicada das palavras que funcionam como meio de transporte dos mais oníricos para uma incrível viagem que cruza, entrelaça e costura o que há de mais bonito na música e na literatura brasileira como se estivéssemos numa conversa regada a bom vinho, uma cerveja gelada ou uma pinga de barril, tendo ao fundo uma canção de Chico Buarque na voz de Maria Bethânia ou de Sueli Costa na voz de Simone ou de Cristovão Bastos com o próprio ao piano ou…

Escritora presa no corpo de uma cantora? Cantante aprisionada por uma teia literária? Quem desvenda esse mistério? Daniela é cantora – e das boas! É cronista – e das melhores! Dona de uma incrível memória musical e movida a verso de canção. De ouvido apurado para belas melodias e olhos atentos para letras bem tecidas. Tudo isso está ali, “De Conversa Em Conversa”, desfilando diante dos nossos olhos. Se eu fosse você não perdia por nada desse mundo!

***

Por Daniela Aragão
É com grande alegria e entusiasmo que apresento o livro “De conversa em conversa” que reúne crônicas musicais que escrevi ao longo de dezesseis anos. A história começa no “Jornal Cataguases”, no ano (2005) quando inicio minha colaboração com crônicas semanais. Dali, segui meu caminho, e a escrita, a pesquisa e os estudos sobre música sempre estiveram comigo por outras paragens, como o jornal Achei Usa, O Dia (Teresina- PI), além da coluna que mantive entre junho de 2013 a fevereiro de 2022, no site Acessa, em Juiz de Fora- MG. E a partir de junho (2022), passo a publicar minha coluna na revista Prosa, Verso e Arte. A música, a grande Música Popular Brasileira, sempre encantou minha jornada, assim como a Literatura.

O LIVRO

“Este livro é um belo exemplo da força que a crônica tem no mundo atual, tão cheio de demandas, tão carente de conteúdo, tão vazio de inteligência. A sua autora vem se destacando como uma cronista atenta às duas forças que constituem a música popular brasileira no momento presente: as transformações tecnológicas, estéticas e culturais das sonoridades contemporâneas; e as manifestações musicais concebidas como um constante exercício de tradução das tradições de nosso cancioneiro.”
– Júlio Diniz, no ‘prefácio’ do livro “De conversa em conversa: crônicas musicais”, de Daniela Aragão. Chiado Brasil, 2018.

Capa do livro “De conversa em conversa: crônicas musicais”, de Daniela Aragão.

:: De conversa em conversa: crônicas musicais, de Daniela Aragão. [orelha escrita pelo poeta Geraldo Carneiro; prefácio do pesquisador musical e professor da Puc-Rio Júlio Diniz; contracapa pela cantora e compositora Joyce Moreno e pelo compositor, pianista e arranjador Cristovão Bastos]. Editora Chiado Brasil, 2018.
Sinopse: “De conversa em conversa” (Chiado, 280 páginas) é o primeiro livro dessa cantora e escritora e reúne 62 crônicas musicais. Por meio dele, conhecemos um pouco mais de Adriana Calcanhotto, Joyce, Chico Buarque, Bethânia, Leila Pinheiro, Gal, Elis, Maria Rita, Milton, Gil, Caetano, Marina Lima e tantos outros grandes nomes da MPB. Embora apenas em 2018 tenha chegado as prateleiras, pode-se afirmar que o livro é gestado desde 2005, quando Daniela começou a escrever crônicas para o Jornal de Cataguases. “Fui tomando gosto pelo ofício e, ao longo dos anos, ganhando autores e interlocutores”, diz, ressaltando que resolveu reunir os textos em um livro depois que recebeu pedidos de amigos para que fizesse um compêndio do que já havia sido publicado.

“Hoje o dia amanheceu Caymmi… Então, quando a maré vazar, vou ler Daniela, ouvir Daniela, reler Daniela e todas as músicas que estão dentro dela. Aquelas que ela escuta e traduz pra gente com sensibilidade e compreensão.
É para isso que a gente existe – nós, esse povo que vive do que tece. Para sermos ouvidos, entendidos, cantados, devorados e devolvidos, no masculino, feminino e neutro, por quem tem a alma na mesma sintonia.
Por isso e por tudo, salve ela – Daniela, ê, meus camaradas”
– Joyce Moreno (Cantora e compositora)

“Daniela, fina sensibilidade e rara habilidade para descrever importantes pormenores. Sábia simplicidade, aliada a seu embasamento acadêmico, é um prazer a mais encontrado na leitura de suas crônicas. Bem-vinda”
– Cristovão Bastos (pianista, compositor e arranjador).

No momento Daniela Aragão está em busca de uma editora para reedição do livro.

DEPOIMENTOS DE ROBERTO MENESCAL, JOYCE MORENO, CRISTOVÃO BASTOS E LUCINA

***

Daniela Aragão – foto: acervo pessoal

** Daniela Aragão (1975) é doutora em literatura brasileira pela Puc-Rio, cantora e pesquisadora musical. Há mais de duas décadas desenvolve trabalhos sobre a história do cancioneiro brasileiro, com trabalhos publicados no Brasil e no exterior. Gravou em 2005 o disco “Daniela Aragão face A Sueli Costa face A Cacaso”. Há mais de uma década realiza entrevistas com músicos de Juiz de Fora e de estatura nacional. Entre os entrevistados estão: Sergio Ricardo, Roberto Menescal, Joyce Moreno, Delia Fischer, Márcio Hallack, Estevão Teixeira, Cristovão Bastos, Robertinho Silva, Alexandre Raine, Guinga, Angela Rô Rô, Lucina, Turíbio Santos… Seu livro recém lançado “De Conversa em Conversa” reúne uma série de crônicas publicadas em jornais e revistas (Cataguases, AcheiUSA, Suplemento Minas, O dia, Revista Revestrés, Cronópios…) ao longo de quinze anos . Os textos de Daniela Aragão são reconhecidos no meio musical devido a sua considerável marca autoral e singularidade, cuja autora analisa minuciosamente e com lirismo obras de compositores e cantores como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Chico Buarque, Rita Lee. O livro possui a orelha escrita pelo poeta Geraldo Carneiro, prefácio do pesquisador musical e professor da Puc-Rio Júlio Diniz, contracapa da cantora e compositora Joyce Moreno e do pianista e arranjador Cristovão Bastos. Irá lançar em 2022 seu livro “São Mateus – num tempo de delicadezas”.  Colunista da Revista Prosa, Verso e Arte. #* Biografia completa AQUI!
#* Acompanhe Daniela Aragão na rede: Instagram | Youtube | Facebook | Linkedin | Contato com a autora: [email protected]
*# Leia outras crônicas e textos de Daniela Aragão neste site, clicando AQUI!

 

RECOMENDAMOS







Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar