sexta-feira, junho 14, 2024

CCBB celebra 80 anos de vida do diretor mineiro Eid Ribeiro

CCBB Rio de Janeiro celebra 80 anos do icônico diretor mineiro Eid Ribeiro com nova encenação de “Fim de Partida”, de Samuel Beckett
.
Ao completar 80 anos de vida, Eid Ribeiro retorna a um dos mais conhecidos textos de Samuel Beckett “Fim de Partida”, peça já levada aos palcos pelo diretor mineiro nos anos 1980. Hoje, Eid, que é um dos mais respeitados artistas do teatro brasileiro, inova ao revisitar o espetáculo, tendo, desta vez, dois palhaços da Trupe Garnizé como protagonistas: Francisco Dornellas e seu filho Victor. Completam o elenco, em participações especiais, João Santos e Marina Viana.
.
A estreia no Rio de Janeiro será dia 5 de junho, quarta-feira, no Teatro III do Centro Cultural Banco do Brasil, onde fica em cartaz até 30 de junho com apresentações de quarta a sábado às 19h e domingo às 17:30h. A peça estreou nacionalmente no CCBB Belo Horizonte, esteve em Brasília no último mês. O patrocínio é do Banco do Brasil, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.
.
A nova encenação de Eid Ribeiro traz um Beckett com tons de comédia, sem deixar de ser profundamente humano. No palco, Francisco Dornellas (79 anos) vive Hamm e contorna suas dificuldades motoras e cognitivas, ocasionadas por dois AVCs recentes. Para superar os desafios, Chico conta com recursos tecnológicos e o auxílio do filho, Victor Dhornelas, que vive o personagem Clov, ambos dividem a cena desde a infância de Victor.

“Queremos mostrar que Samuel Beckett é um escritor e poeta visionário. À medida que o tempo passa, sua criação se torna cada vez mais atual diante do mundo em que vivemos. E nada melhor que a sabedoria de um velho palhaço para narrar a sua história. Esperamos, assim, que o nosso Fim de Partida seja uma ode de amor ao teatro, como também demonstrar a possibilidade de enaltecer a vida através da arte”, explica Eid Ribeiro.
.
O resultado pode ser visto como um espetáculo que navega rumo ao acaso e à improvisação, mas com pontual elaboração em determinados momentos.
.
“Enquanto o mundo caminha para a extinção, no premonitório planeta Beckettiano, onde os seres humanos não conseguem se comunicar apesar de falarem pelos cotovelos, o humor e o riso fazem parte dessa nossa tragédia. E nada melhor que ter ao lado a companhia de dois palhaços. Por que não? A estrada é longa, cheia de curvas e encruzilhadas onde podemos nos perder”, reflete o diretor.

revistaprosaversoearte.com - CCBB celebra 80 anos de vida do diretor mineiro Eid Ribeiro
Eid Ribeiro apresenta espetáculo ‘Fim de Partida’, de Samuel Beckett – foto: André Veloso

O “Fim de Partida” de Eid Ribeiro busca provocar uma simbiose entre o personagem da ficção beckettiana e a linguagem da palhaçaria, com duas narrativas que percorrerão caminhos paralelos, mas que se identificarão em determinados momentos, praticando um jogo de ironia e escárnio, rindo do trágico destino traçado para a humanidade.
.
Escrito num contexto pós-catástrofes, após duas guerras mundiais, sobre os destroços e os entulhos do nazifascismo, Beckett desloca o olhar sobre este plano geral de destruição e envenenamento social e escreve, entre 1954 e 1956, essa peça sobre as relações tóxicas, servis e parentais, em que, no espaço fechado de um bunker, as duas personagens principais, Hamm e Clov, agem e dialogam num jogo de repetições próprio da comédia burlesca.

Eid José Ribeiro Aguiar é um dos artistas mais relevantes da cena artística mineira e nacional. Nascido em Caxambu, em 1943, o dramaturgo, roteirista e diretor teatral já dirigiu e escreveu para coletivos como Grupo Galpão, Grupo Teatro Delle Radici (Suíça), Grupo Trama, Cia Acômica e Grupo Armatrux. Foi ainda fundador do Grupo Geração, coletivo teatral que atuou na resistência à ditadura militar no Brasil, repórter e colunista de diversos jornais mineiros e fluminenses e curador e diretor de programação do Festival Internacional de Teatro Palco & Rua de Belo Horizonte. Um dos artistas veteranos mais atuantes do cenário mineiro, Eid Ribeiro marca sua obra com um estilo inconfundível, que traz referências que vão do teatro moderno norte-americano e europeu aos circos mambembes do Brasil, do experimental ao popular, do grotesco ao sublime, do existencial ao político. Como dramaturgo, seus primeiros textos foram escritos durante sua internação no Sanatório dos Bancários, por decorrência de uma tuberculose, onde fez teatro com outros internos. Ingressando posteriormente no Teatro Universitário, em 1965, passa a fazer parte de uma geração importante de autores que inclui nomes como Alcione Araújo e José Antônio de Souza. Desde então, seus textos já foram encenados por diversos grupos e diretores espalhados pelo país, vencedores de vários concursos e prêmios.

revistaprosaversoearte.com - CCBB celebra 80 anos de vida do diretor mineiro Eid Ribeiro
Eid Ribeiro apresenta espetáculo ‘Fim de Partida’, de Samuel Beckett – foto: André Veloso

FICHA TÉCNICA
Texto: Samuel Beckett | Direção: Eid Ribeiro | Assistente de direção: João Santos | Tradução: Fábio de Souza Andrade | Elenco: Francisco Dornellas, Victor Dhornelas, João Santos e Marina Viana | Iluminação: Bruno Cerezoli | Trilha sonora: Eid Ribeiro e João Santos | Trilha sonora original e efeitos sonoros: Airon Gischewski | Cenário e figurino: Eduardo Félix | Assistente de cenografia: Márcio Miranda | Costureira: Aurora Majnoni | Serralheiro: Nilson Santos | Colaboração artística (figurino e maquiagem): Thálita Motta | Execução de maquiagem: Victor Dhornelas | Confecção de boneco: Leandro Marra e Eduardo Félix | Consultor de palhaçaria: Evandro Heringer | Preparação corporal: Eliatrice Gischewski | Preparação vocal: Ana Hadad | Produção executiva: Nathan Coutinho | Assistentes de produção: Guga Medeiros e Daniel Dornellas | Coordenação de produção e gestão de projeto: Cris Moreira – Esparrama! | Gestão financeira: Graziane Gonçalves | Coordenação de comunicação: Bárbara Amaral | Assessoria de imprensa: Ney Motta | Edição do release para o CCBB RJ: Ney Motta | Fotos de divulgação: André Veloso | Programação visual: Tiago de Macedo – Estúdio Ofício

revistaprosaversoearte.com - CCBB celebra 80 anos de vida do diretor mineiro Eid Ribeiro
Eid Ribeiro apresenta espetáculo ‘Fim de Partida’, de Samuel Beckett – foto: André Veloso

SERVIÇO
Fim de Partida
Temporada: 5 a 30 de junho de 2024
Dias e horários: Quarta à sábado às 19h e domingo às 17:30h
Centro Cultural Banco do Brasil – Teatro III 
Rua Primeiro de Março, 66, Centro, Rio de Janeiro
Informações: 21 3808-2020 | [email protected]
Valor do ingresso: R$ 30 (inteira) e R$15 (meia)
Estudantes, maiores de 65 anos e Clientes Ourocard pagam meia entrada.
Ingressos adquiridos na bilheteria do CCBB ou antecipadamente pelo site bb.com.br/cultura
Funcionamento do CCBB Rio: de quarta a domingo, das 9h às 20h (fecha às terças).
Duração: 135 minutos, com 10 minutos de intervalo
Classificação: 16 anos


ACOMPANHE NOSSAS REDES

DESTAQUES

 

ARTIGOS RECENTES