Bombeiros tentam apagar as chamas da catedral de Notre-Dame. A agulha da torre principal da igreja desabou. Getty Images

As chamas atingiram a histórica catedral durante a tarde desta segunda-feira,15 de abril (2019) e causou destruição de boa parte igreja que é um dos símbolos da capital francesa e o monumento histórico mais visitado da Europa.

O fogo estaria relacionado às obras de restauração da catedral de Notre-Dame. Segundo os porta-voz da catedral, as chamas começaram por volta das 18h50 (horário local) e os bombeiros chegaram poucos minutos depois –várias estátuas haviam sido retiradas previamente por conta da reforma. Entretanto, o fogo causou a queda da icônica agulha que fica no topo da igreja, o monumento mais visitado da Europa. A área foi evacuada. Símbolo da França, a catedral de Notre-Dame começou a ser construída em 1163 e 1345, passou por várias reformas ao longo dos séculos e já foi atingida anteriormente por outro incêndio, em 1871.

A Catedral de Notre-Dame, é um dos símbolos de Paris e abriga um tesouro arquitetônico e artístico. Famosa por sua arquitetura gótica, que atrai 13 milhões de turistas todos os anos, a igreja é conhecida ainda por ter sido cenário do romance “O Corcunda de Notre-Dame” (ou “Notre-Dame de Paris”), lançado em 1831 por Victor Hugo (1802-1885). Seu grande órgão é um dos instrumentos mais famosos do mundo no gênero.

A construção do templo dedicado à Virgem Maria (Notre-Dame quer dizer Nossa Senhora em português) levou 180 anos: de 1163, quando começou a ser erguida no local onde ficava uma igreja romana, a 1345. Antes, o terreno havia sediado um templo druida, altar celta e antigos ritos cristãos.

Localizada na Île de la Cité (uma pequena ilha no centro de Paris, rodeada pelas águas do rio Sena), a catedral foi restaurada diversas vezes em seus mais de oito séculos de existência.

Em meados do século 12, essa igreja romana passou a ser muito pequena para a população de Paris, cujo crescimento havia disparado. Surgiu, então, o projeto de construir uma imensa catedral, de 135 metros de largura e 40 metros de altura, testemunha da relativa prosperidade do momento, quando a fome e as epidemias diminuíram.

O século 13 foi considerado um período negro para a catedral. Os líderes religiosos, estimando que os coloridos vitrais “comiam a luz”, substituíram muitos deles por cristais brancos.

Com a Revolução Francesa, tesouros foram roubados de Notre-Dame, e a construção passou a ser usada para armazenar alimentos.

Em 1801, a catedral passou por um processo de restauro para celebrar um acordo entre a França e a Santa Sé e para a coroação de Napoleão Bonaparte, em 1804. Mas em 1831 voltou a ser saqueada e teve seus vitrais quebrados.

No período romântico, que enaltecia a expressão artística de outras épocas, a Notre-Dame foi vista com novo interesse. Foi, então, que o escritor Victor Hugo, em seu livro “O Corcunda de Notre-Dame”, lançou o grito de alarme, alertando que a histórica catedral estava em ruínas.

A “ressurreição” da construção começou em 1844, guiada pelos arquitetos Eugène Viollet-le-Duc e Jean-Baptiste Lassuss, que morreria em 1857. A restauração, que respeitou materiais, estilos e épocas, se estendeu durante mais de duas décadas.

Entre 1990 e 1992, o alvo da restauração foi o grande órgão da Catedral de Notre-Dame, um dos instrumentos mais famosos do gênero no mundo. O site oficial do templo cita que também foi promovida uma limpeza na fachada, que durou mais de dez anos.

O material de divulgação cita, por fim, que “longe de ser um museu, a catedral é, desde suas origens, a Casa de Deus e a Casa dos Homens”.

Paris celebrou o 850º aniversário da Catedral de Notre-Dame de 12 de dezembro de 2012 a 24 de novembro de 2013. Segundo as contas dos franceses, o templo tem hoje algo entre 855 e 856 anos.

Catedral de Notre-Dame de Paris

Notre-Dame e a história

Pela Catedral de Notre-Dame passaram importantes figuras da história não só da França. A Rádio França Internacional destaca os seguintes eventos:

  • Na década de 1450, correu em Notre-Dame o processo de reabilitação de Joana d’Arc (1412-1431), que havia sido queimada.
  • Foi em Notre-Dame que Henrique IV se casou em 1572 com Marguerite de Valois, a Rainha Margot, convertendo-se ao catolicismo. O plano era acabar com a guerra entre católicos e protestantes, que resultou na trágica Noite de São Bartolomeu.
  • Em 1789, durante a Revolução Francesa, uma multidão subiu a fachada da igreja para destruir as cabeças das estátuas. Com o gesto, a população usava essas “cabeças de pedra”, que remetiam à guilhotina, para demostrar insatisfação.
  • Em 1804, Napoleão Bonaparte foi sagrado imperador Napoleão I na catedral.
  • Em 1831, Victor Hugo lançou o livro “O corcunda de Notre-Dame” (ou “Notre-Dame de Paris”). É nas torres da catedral que se escondia o famoso personagem Quasímodo.
    – Quando acabaram as duas guerras mundiais, já no século 20, Notre-Dame abrigou as celebrações com cantos religiosos que marcaram o fim dos conflitos.
  • Há uma ordem que teria sido dada por Adolf Hitler antes da ocupação nazista na França, na Segunda Guerra: Destruam tudo, mas poupem Paris e Notre-Dame”.
  • Os sinos de Notre-Dame anunciaram a liberação da França da ocupação, em 25 de agosto de 1944.
Interior Catedral Notre Dame em Paris

Detalhes da arquitetura de Notre-Dame

O site oficial da Catedral de Notre-Dame lista sete pontos de destaque da arquitetura do edifício:

  • La façade occidentale (A Fachada Ocidental): Com dimensões imponentes (41 m de largura, 43 m de altura e 63 m no topo de torres), ela tem “quatro poderosos contrafortes que sobem até o topo das torres e os elevam para o céu”, diz o material de divulgação. “Eles nos dizem simbolicamente que esta catedral é construída para Deus.”
  • La flèche (A Flecha): Esta torre sineira a 93 metros do solo tem as estátuas de cobre que representam os 12 apóstolos e os quatro evangelistas. Tem 500 toneladas de madeira e 250 toneladas de chumbo. No topo, fica o galo com três relíquias – uma parte da Santa Coroa de Espinhos, uma relíquia de Saint Denis e outra de Saint Geneviève (“ele constitui (…) um verdadeiro ‘raio espiritual’ protegendo todos aqueles que trabalham para o louvor de Deus”, diz o texto). A estrutura desabou após o incêndio.
    La charpente (O Quadro): A estrutura interna feita em carvalhos tem mais de 100 metros de comprimento, 13 de largura na nave, 40 no transepto (segmento que “atravessa” lateralmente o corpo principal) e 10 de altura.
  • Le Portail du Jugement (O Portal do Julgamento): Ocupa o espaço central da fachada ocidental e foi instalado entre os anos 1220 e 1230. Simboliza o Juízo Final conforme no “Evangelho de São Mateus”.
  • Le Portail Sainte-Anne (O Portal de Sainte-Anne): Este foi instalado por volta de 1200 – portanto antes dos outros dois que ficam na fachada.
  • Le Portail de la Vierge (O Portal da Virgem): Ocupa o espaço à esquerda da fachada ocidental e foi instalado entre os anos 1210 e 1220, logo depois do Portal de Sainte-Anne e antes do Portal do Julgamento. “Ele traça, segundo a tradição da Igreja, a morte de Maria, sua ascensão ao Paraíso e sua coroação como Rainha do Céu”, diz o texto.
A catedral de Notre-Dame é vista alinhada ao sol durante o amanhecer em Estrasburgo, na França. O fenômeno, chamado “Strasbourghenge”, acontece quando o sol está alinhado diretamente atrás de um edifício ou monumento durante o solstício — Foto: Patrick Hertzog/AFP

O incêndio que atinge a catedral de Notre-Dame, em Paris (capital da França), fez com que o pináculo (o ponto mais alto da igreja histórica) caísse. A imagem causou comoção e desespero entre os franceses. A agulha da torre, como também é chamada essa parte da edificação gótica, era composta por aproximadamente 500 toneladas de madeira e caiu por volta das 20h (horário local). O fogo também tomou o ático da catedral. A Notre-Dame é o monumento histórico mais visitado da Europa. De estilo gótico, começou a ser construída em 1163 e levou cerca de 150 anos para ser concluída.

Fonte: G1/Globo | El País

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS





Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar