Casa do Choro Digital

Criada para valorizar e disseminar um dos patrimônios musicais brasileiros, a Casa do Choro ganha programação digital. A plataforma on-line vai disponibilizar cursos, shows, acervo audiovisual e material inédito sobre a música instrumental mais antiga do Brasil.

Mais de um século e meio após o seu surgimento, o choro, um dos gêneros de música popular mais antigos do mundo em atividade, conta, a partir do dia 3 de outubro, com uma plataforma de transmissão online exclusiva de música brasileira – inspirada (hoje e sempre) pelo mestre Villa Lobos, que afirmou que “o choro é a essência musical da alma brasileira”. A Casa do Choro Digital pretende não apenas dar continuidade às atividades culturais e de pesquisa que consolidaram o espaço instalado há 5 anos no centro histórico do Rio de Janeiro, mas também ao trabalho de educação e de preservação de acervos – executado há 20 anos pela Escola Portátil de Música, mantida pelo instituto – contribuindo de forma decisiva para a difusão, preservação, produção contemporânea, democratização e a internacionalização do gênero.

Dia 3 de outubro, a abertura terá uma extensa programação gratuita. Às 12h30, o ensaio aberto do maior regional do mundo migra do jardim aos pés do Morro da Urca para a rede: o choro “Arranca Toco”, de Jayme Florence “Meira” será tocado pelo “bandão”, uma prática instrumental que reúne boa parte dos cerca de 1200 alunos do núcleo virtual da Escola Portátil de Música. A turma começou on-line com a quarentena e já soma mais de 25% de alunos estrangeiros entre a nova geração de chorões, que agora pode ter uma rotina de estudo semanal com uma equipe de 41 professores, em várias áreas da música popular – teóricas e práticas, de instrumentos e até cursos infantis. De acordo com Maurício Carrilho, mestre no violão e um dos fundadores da Casa do Choro, esse é o maior legado. “Há 20 anos, a situação do choro era dramática, não tinha nenhum jovem tocando e nenhum espaço dedicado a ele. Hoje, você vê em bares e reuniões alunos e ex-alunos da Escola Portátil de Música.”

Às 18h do mesmo dia, será exibida a première do filme “Choro Carioca: Música do Brasil”. Com direção de Zeca Ferreira, o roteiro passeia por ritmos que foram matrizes do choro, como o lundu e a polca, passa pelas rodas de diferentes épocas e termina no choro contemporâneo. Registros de Lima Barreto e Paulo César Pinheiro pontuam alguns momentos do espetáculo, que também traz projeções de fotografias raras e de obras de artistas como Portinari e Debret. Às 20h, Luciana Rabello convida o diretor Zeca Ferreira, Nailor Proveta (saxofone) e Toninho Carrasqueira (flauta) para um bate papo ao vivo sobre o documentário e a série Princípios do Choro.

Dias 5, 7, 8 e 9 de outubro, Os cavaquinistas Luciana Rabello e Jayme Vignoli, os violonistas Maurício Carrilho e Paulo Aragão, o bandolinista Pedro Aragão se reúnem com convidados como o cavaquinista Sergio Prata e o bandolinista Jorge Cardoso em um mergulho no gênero, com temas variados, no workshop gratuito “Choro para Todos”. A plataforma traz ainda para o formato podcast o “Jacob e seus discos de Ouro”, material inédito compilado do acervo de cerca de 50 programas diários, apresentados na Rádio Nacional (RJ) de 1968 a 1969 – produzido pelo Instituto Jacob do Bandolim. Nesse programa, além de apresentar raridades e lançamentos fonográficos, o bandolinista contava histórias e fazia críticas, no melhor estilo “jacobiano”. O vídeo “O Arquivo do Jacob” irá mostrar – pela primeira vez – documentos e registros que o bandolinista reunia desde jovem, criando o primeiro grande acervo de choro de que se tem notícia.

Uma ampla variedade de músicas e shows exclusivos estarão no catálogo do serviço, assim como os depoimentos para a posteridade (os primeiros serão de Wilson das Neves e Cristovão Bastos), cursos online com um corpo técnico de relevância reconhecida internacionalmente, vasto material para pesquisa com os “Cadernos de Choro”, Rádio Acari Records, documentários e filmes. A plataforma de streaming será oferecida de graça na semana de lançamento, e depois, a assinatura será de 10 reais/mensais.

Outros destaques serão os shows virtuais. O auditório virtual será inaugurado no dia 10 de outubro, com o show “Senhora das Canções”, homenagem aos 100 anos de Elizeth Cardoso, com a cantora Mônica Salmaso, direção musical e violão de Paulo Aragão, Luciana Rabello (cavaquinho), Mauricio Carrilho (violão de 7 cordas), Aquiles Moraes (trompete e flugelhorn) e Marcos Thadeu (percussão). “Elizeth tinha segurança e equilíbrio técnico da voz. Ouvi-la equivale a estudar canto”, afirma Mônica. O repertório de clássicos ainda abre espaço para canções menos conhecidas. É o caso de “A Mentira Acaba”, composta por Rui de Almeida e Arnô Provenzano, uma das primeiras que Elizeth gravou, em um disco de 78 rotações lançado em 1950.

“Essa união de talentos e esforços nada mais é do que nosso total respeito ao próprio choro, que é agregador por natureza e sempre precisou do trabalho coletivo para chegar aonde chegou”, observa a presidente da Casa do Choro, Luciana Rabello. “É uma conquista não só dos chorões, como de todos que gostam da boa música brasileira; dessa música que é um alicerce da cultura do nosso país.” E terá vida longa no que depender desses chorões e do Conselho do Instituto – formado por importantes personalidades como Paulo César Pinheiro, Dori Caymmi, Maria Bethânia, Hermínio Bello de Carvalho, Déo Rian, Kati de Almeida Braga, Luiz Otávio Braga, Paulo Cesar Feital, Roberto Almeida, Roberto Gnatalli e Sergio Prata (Instituto Jacob do Bandolim).

A Casa do Choro Digital concebida e implementada em parceria com a DNMCA Cultural, um braço de desenvolvimento de iniciativas ligadas à arte, da DNMCA – empresa de serviços de business analytics baseados em inteligência artificial, presente em 36 países e há 15 anos no mercado.

Histórico

Em 2000, a cavaquinista Luciana Rabello uniu forças com Mauricio Carrilho, mestre no violão e sobrinho do flautista Altamiro Carrilho, Celsinho Silva, Álvaro Carrilho e Pedro Amorim para criar a Escola Portátil de Música (EPM) – com um corpo docente formado por grandes nomes como Cristovão Bastos, Paulo Aragão, Jayme Vignoli, Amelia Rabello, Rui Alvim e Bia Paes Leme – que logo tornou-se um curso de extensão na graduação em Música da UNIRIO/Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Mais de 18 mil pessoas passaram pelos bancos da EPM nestes 20 anos, tempo também de existência da Acari Records, primeira e única gravadora de choro do mundo, dirigida pela dupla e dona de um catálogo com mais de 76 títulos. Com a chancela de Entidade de Utilidade Pública recebida em 2016 (Lei 7288), o Instituto – que tem ainda nomes como Jayme Vignoli, Paulo Aragão, Cesar Carrilho e Marcílio Lopes em sua diretoria – já recebeu o Prêmio de Cultura do Estado do Rio de Janeiro e foi tema de estudo de teses de mestrado e doutorado, no Brasil e no exterior.

Há 5 anos a Casa do Choro abriu suas portas para o público, e agora todo esse trabalho de memória, educação e produção musical encontram abrigo na Rua da Carioca, número 38. O sobrado histórico construído no início do século 20 – tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC), cedido pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro ao Instituto Casa do Choro, que restaurou o imóvel com patrocínio da Petrobras e do BNDES e incentivo parcial da Lei Rouanet – mantém a tradição de importante capítulo na história da música brasileira: nessa rua ficavam as principais “casas de música” da cidade nas primeiras décadas do século 20. Com oito salas de aula, um estúdio de gravação que leva o nome de Raphael Rabello (irmão de Luciana já falecido e um dos maiores violonistas do país), um auditório com 100 lugares, mais de 18 mil partituras (catalogadas e digitalizadas) e dois mil discos de 78 rotações e LPs, os números da Casa do Choro impressionam. Em torno de 2.500 músicos passaram por seu palco em 632 shows (comprováveis) desde 2015 e até o momento 11 depoimentos foram registrados para a posteridade (Herminio Bello de Carvalho, Mauricio Carrilho, Paulo Cesar Pinheiro, Wilson das Neves, Izaias Bueno, Deo Rian, Zé da Velha, Cristovão Bastos, Celsinho Silva, Luciana Rabello e Mauricio Carrilho), realizados por uma cadeia profissional de 41 professores e 12 profissionais (coordenação/direção, produção, comunicação e prestadores de serviço).

Serviço

A Casa do Choro Digital terá uma programação gratuita, e conteúdo exclusivo para colaboradores a partir de R$ 10,00 / mês.

Programação de lançamento da Casa do Choro Digital:

Sábado, 3 de outubro

3/10, 12h30 – Bandão Virtual de 20 anos da Escola Portátil de Música

3/10, 18h – Premiere do filme “Choro Carioca – Música do Brasil”. Direção de Zeca Ferreira com canções interpretadas por Cristovão Bastos (piano), Mauricio Carrilho (violão), Luciana Rabello (cavaco), Aquiles Moraes (trompete) e Magno Julio (percussão). Coordenação geral de Luciana Rabello, direção musical e arranjos de Maurício Carrilho e direção de imagem de Zeca Ferreira.

3/10, 20h – Papo sobre o filme Choro Carioca – Princípios do Choro, com Luciana Rabello, Zeca Ferreira, Proveta e Toninho Carrasqueira

Valor: Gratuito

Choro para todos – workshops gratuitos

Segunda a sexta-feira, dia 5 ao dia 9 de outubro

5/10, 19h – Maurício Carrilho e Paulo Aragão – Harmonia no choro

7/10, 19h – Pedro Aragão, Sergio Prata e Jorge Cardoso – O Instituto Jacob do Bandolim

8/10, 19h – Um encontro entre chorões de vários estados e a Associação Cultural de Amigos do Museu do Folclore, com a participação do IPHAN e do público, para falar sobre o projeto em curso de registro do Choro em Patrimônio Imaterial do Brasil

9/10, 19hLuciana Rabello e Jayme Vignoli – O Cavaquinho, Levadas no choro

Valor: Gratuito

Auditório Virtual

Sábado, dia 10 de outubro

10/10, 18h – show Senhora das Canções, em homenagem aos 100 anos de Elizeth Cardoso, com Mônica Salmaso, Luciana Rabello, Mauricio Carrilho, Aquiles Moraes e Marcos Thadeu. Direção musical e violão de Paulo Aragão.

Valores: A partir de R$ 15,00 com acesso por 1 dia;

até R$ 60,00 com acesso por dez dias + bate-papo virtual com os artistas via Zoom, após a exibição do show.

Casa do Choro Digital

A assinatura a preço popular dará acesso a apresentações, cursos e material inédito sobre a música instrumental mais antiga do Brasil.

Rede online da Casa do Choro

Site: Casa do Choro
Streaming: Casa do Choro Digital
Facebook: Casa do Choro
Instagram: Casa do Choro
Youtube: Casa do Choro
Site: Acari Records
Site: Escola Portátil de Música
Facebook: Escola Portátil de Música
Instagram: Escola Portátil de Música

Fonte: Sapo Cultural | Rádios EBC | Casa do Choro

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS





Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar