sábado, junho 15, 2024

Álbum ‘Saudade, Colour of Love’, da cantora e compositora portuguesa Maria Mendes

Depois de disponibilizar na Europa e nos EUA em outubro de 2022, a cantora e compositora portuguesa Maria Mendes, acaba de lançar nas plataformas digitais na América do Sul Saudade, Colour of Love, álbum gravado ao vivo com novos arranjos orquestrais para o repertório de ‘Close to Me’ (2019), seu disco anterior que foi indicado ao Grammy e ao Grammy Latino, além de canções inéditas.
.
Com carreira jazzística, a cantora trouxe para esses dois discos, pela primeira vez, um repertório de fado. No entanto, em Saudade, Colour of Love (Challenge Records International, 2022) e em Close To Me (Justin Time, 2019), Maria explora o fado e sua melancolia em um projeto que está longe de ser uma abordagem tradicional do gênero: jazzística e sinfônica. Com produção e arranjos musicais da própria Maria compartilhados com o produtor e arranjador americano John Beasley (vencedor de Grammy e Emmy), a cantora ainda conta com uma das maiores orquestras de jazz sinfônica do mundo, a holandesa Metropole Orkest.
.
Saudade, Colour of Love é um álbum gravado ao vivo em Amsterdã (maio de 2022) que apresenta nove canções – duas composições originais e as outras sete canções que se dividem entre alguns dos fados imortalizados por Amália Rodrigues e música do folclore tradicional português, bem como duas peças instrumentais cantadas em scat (uma de autoria de Hermeto Pascoal, a outra de Carlos Paredes). O disco já conquistou o título de melhor álbum de jazz em 2022 em revistas como a Downbeat, JazzThing, Jazziz Magazine, Jazzwise e Jazzism.

A faixa “Hermeto’s Fado For Maria” é de autoria de Hermeto Pascoal que, em 2018, durante uma de suas visitas a Portugal, a escreveu especialmente para a cantora e a entregou em mãos após seu o show. A peculiaridade desta partitura é que toda ela – desde as linhas dos compassos, às notas musicais, foram escritas à mão pelo mago do sons num cartão de instrução de saída de emergência plastificado que Hermeto pegou de seu quarto de hotel e a usou como uma tela. Uma obra de arte em tamanho A3, com a dedicatória “Para Maria Mendes, com muito carinho”. “Quando ele me deu esta partitura em mãos, disse: “Neguinha, faça o que quiser com isso mas não se atreva a não gravar!”, conta Maria. “Verdadeiramente, este foi um dos melhores presentes que já recebi!”
.
Para Maria, “Este é um álbum provocativo! Não é um álbum de fado, apesar de ter em sua maioria fados! São obras conhecidas para as quais dei contornos melódicos e harmônicos que intensificam a poesia. Um disco que pode agradar os amantes de jazz, música clássica e de fado no Brasil, porque a fusão criativa que se respira na América Latina provém dessa visão audaciosa de querer libertar-se dos cânones do esperado e ir além do tradicional.”

revistaprosaversoearte.com - Álbum 'Saudade, Colour of Love', da cantora e compositora portuguesa Maria Mendes
Capa do álbum ‘Saudade, Colour of Love’ • Maria Mendes • Selo Challenge Records International • 2022

DISCO ‘SAUDADE, COLOUR OF LOVE • Maria Mendes • Selo Challenge Records International • 2022
Canções / compositores
1. Com que voz (Amália Rodrigues)
2. Tudo isso é fado (Amália Rodrigues)
3. Verdes anos (Carlos Paredes)
4. Foi Deus (Amália Rodrigues)
5. Hermeto’s fado for Maria (Hermeto Pascoal)
6. E se não for fado (Mafalda Arnauth)
7. Dança do amor (Maria Mendes)
8. Quando eu era pequenina (canção folclórica)
9. Meu pobre capitão (Maria Mendes e Beasley)
– ficha técnica –
Maria Mendes (voz) | Cédric Hanriot (piano e teclados) | Jasper Somsen (contrabaixo acústico) | Mário Costa (bateria e percussão) || ♪Metropole Orkest♪ – 1º Violinos: Vera Laporeva, Jasper van Rosmalen, Sarah Koch, Pauline Terlouw, Christina Knoll, Saskia Frijns | 2º Violinos: Herman van Haaren, Willem Kok, Ruben Margarita, Robert Baba, Xaquín Carro Cribeiro, Leonnid Nikishin | Violas: Norman Jansen, Mieke Honingh, Iris Schut, Isabella Petersen | Cellos: Joel Siepmann, Emile Visser, Annie Tångberg, Jascha Albracht | Flautas: Mariël van den Bos, Janine Abbas | Oboe/ corne inglês: Maxime Le Minter | Clarinetes: Christof May, Max Boeree | Trompa: Pieter Hunfeld | Kiwi: John Beasley | Regente: John Beasley || Direção musical: John Beasley || Arranjos: Maria Mendes e John Beasley / exceto faixa 5: John Beasley | Orquestrações: John Beasley || Produção: Mario Costa || Gravado ao vivo no Muziekgebouw Amsterdam e Theaters Parkstaad Limburg, em Amsterdã/Holanda, em 11 e 12 de maio de 2022 // Engenheiro de som e gravação: Chris Weeda | Técnicos de som: Vince van Seggelen e Tom de Haas (Da Capo) || Editado por: Wedgeview Recording Studios, em Woerdense Verlaat/Holanda – Engenheiro: Udo Pannekeet // Slow Music Studios, em Lisboa/Portugal – Engenheiro: Nuno Simões, em maio de 2022. | Produtor ‘Metropole Orkest’: Gert-Jan Blom || Mixagem e masterização: David Kowalski /New York, USA, maio e junho de 2022 | Fotos: ©Nathalie Hennis | Selo: Challenge Records International | Formato: CD / Digital | Ano: 2022 | #* Ouça o álbum: clique aqui.

revistaprosaversoearte.com - Álbum 'Saudade, Colour of Love', da cantora e compositora portuguesa Maria Mendes
Maria Mendes – foto: ©Nathalie Hennis

SOBRE MARIA MENDES
Desde Portugal, onde nasceu, até sua casa adotiva na Holanda, a cantora e compositora Maria Mendes tem viajado por um vasto mundo de expressão musical. Aclamada pela prestigiosa revista internacional de jazz, DownBeat, como “uma cantora de jazz da mais alta ordem”, e com um “futuro promissor” previsto por Quincy Jones, Mendes é até o momento a única artista portuguesa feminina a receber uma indicação ao Grammy Americano. Em 2020, ela também foi indicada ao Grammy Latino e venceu o prêmio musical holandês EDISON Jazz Awards 2020. Ao longo de sua carreira já se apresentou em festivais de jazz como North Sea e Montreaux, o Centro Cultural de Belém, o SESC Pompeia (São Paulo), entre muitos outros pelo mundo.
.
Teve ainda a honra de ser a primeira artista portuguesa a ter um espetáculo solo no Blue Note Jazz Club de Nova Iorque. Lançou os álbuns Along the Road (2012), Innocentia (2015) e Close To Me (2019). Já gravou com a Brussels Jazz Orchestra, com a clarinetista Anat Cohen, entre outros. Maria tem em sua formação em Jazz pela ESMAE, no Porto, e o mestrado pela CODARTS, em Rotterdam. Estudou também em Nova York, Rio de Janeiro e Bruxelas. Com uma ligação afetiva ao Brasil, Maria aprofundou o seu conhecimento na música brasileira, particularmente nos sons pós-bossa nova, cuja influência adiciona cores e ritmos extravagantes à sua abordagem do jazz.
>> Maria Mendes na rede: Site | Instagram | Linktree | Youtube | Spotify.

Série: Discografia Portuguesa / Música Popular da Lusofonia / Canção / Fado.
Publicado por ©Elfi Kürten Fenske


ACOMPANHE NOSSAS REDES

DESTAQUES

 

ARTIGOS RECENTES