Paula Klien com obra - foto: Pedro França/WEB

Quatorze obras com nanquim farão parte da solo “Invisibilities”, marcando o novo momento da artista, após anos dedicados à fotografia

Após longos anos dedicados à fotografia, tendo alçado reconhecimento e consagração, especialmente, no circuito da moda, seja em campanhas e ou editorais, Paula Klien retoma uma de suas primeiras manifestações artísticas: o desenho e a pintura, paixões de infância, que, hoje, se materializam através de uma técnica bastante pessoal de pintura com nanquim. O resultado será apresentado em fevereiro, com abertura marcada para o dia 17, em sua primeira mostra de artes plásticas, intitulada “Invisibilities”, na aquabitArt gallery, em Berlim, localizada na Auguststrasse, endereço nobre onde ficam algumas das mais importantes galerias de arte do país. No total, a mostra vai apresentar dez grandes pinturas (1,14x83cm) em nanquim (Chinese ink) sobre papel, uma tela (1,80×1,48cm) utilizando a mesma técnica, dois backlights (46x36cm) com fotografias de pinturas com nanquim, e uma obra tridimensional pintada com nanquim e esculpida em espuma.

A admiração da artista pela estética alemã, ganhou desenvoltura, conceito e forma após sua imersão, em 2015, na escola de arte Kunstgut, de Berlim, com outros artistas de diferentes cantos da Europa. Não à toa que suas pinturas refletem tais predileções técnicas e estéticas, que se materializam de forma homogênea e elegante, trilhando, entretanto, linhas cruas e desprovidas de adereços, cara a arte germânica.

Paula Klien com obra ao fundo – foto: Pedro França/WEB

A objetividade e clareza, em consonância com a proposta líquida e invisível, formula a identidade da obra. Aliás, identidade é, talvez, o que mais salta aos olhos e se evidencia através dos quatorze trabalhos reunidos, que ganharam corpo e expressão a partir da fluidez do nanquim e de toda a imprevisibilidade da sua utilização, seja no espaço (suporte) ou tempo.

Segundo a artista,“O trabalho estabelece uma relação com os elementos que permeiam o tempo e sua inconstância. Reflete a falta de controle sobre os acontecimentos e anuncia a necessidade do improviso diante dos imprevistos. Mostra a possibilidade de escolha diante das opções, incorporando o jogo, a aposta e a surpresa nos resultados. Um abstracionismo lírico conceitualizado na intenção e no acaso, na energia e no destino. Um trabalho impregnado de fé”.

Paula Klien – foto: Paula Klein

A nebulosidade sempre foi uma inspiração para a artista, mantendo-a afastada da mediocridade da certeza. Daí, o gosto pela chuva e pelos dias cinzentos. Ainda em seu texto, ela diz: “Chinese ink, foi eleito para representar vagas manchas imprecisas e tudo que escorre sem que possamos agarrar em um mundo fugaz sem formas definidas. Material que interage, propõe, aceita contra-propostas, dá segundas chances e mostra caminhos. Fluido e, às vezes incontrolável, revela a vida como ela é. Em contra partida, no papel, superfície escolhida, fica a ideia da permanência, do antigo e do caligráfico. Da história que deixamos e do que fica”.

Paula Klien – foto: Paula Klein

A fluidez, tão viva em suas criações, ajuda, também, a responder o acaso de seus novos passos:“Como água eu escorro, e como água, movo em novas direções”, reflete Paula sobre seu novo momento.

Paula Klien – foto: Paula Klein

Paula Klien é uma artista multimídia com realizações anteriores em vários segmentos artísticos, como música e dança.

Um dos grandes nomes da fotografia de moda e celebridade – pelas suas lentes já passaram nomes como Alexandre Nero, Marjorie Estiano, Alinne Moraes, Marcelo Antony, Cauã Reymond, Alice Dellal Oscar Niemeyer, dentre mais de 200 outros nomes! – , Paula Klien dá uma guinada na sua carreira e se joga nas artes plásticas.

Enquanto fotógrafa, a artista já participou de duas bienais e assinou campanhas e editoriais na Vogue Brasil e na Rolling Stones. É autora dos ensaios “Gatos e Sapatos” e “ It`s Raining Men”, participou também de projetos como “Shakespeare – Retratos de uma Festa Luminosa”, “ Mulheres de Verdade”, “Brasileirice” e “Natural do Rio”.Foi agenciada, no Brasil, pela ABÁ mgt e representada no exterior pela Production Paradise

COMPARTILHAR
Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS