Somos Todos Clarice, com curadoria de Isabel Sanson Portella (ilustração J. Bosco)

Até 10 de março de 2017, os espaços de arte contemporânea do museu vão ser ocupados pela poesia e obra da escritora na exposição “SOMOS TODOS CLARICE”, idealizada por Isabel Sanson Portella, curadora da Galeria do Lago.

“É preciso ler Clarice para aprender a vida, para enxergar como a matéria humana se move no mundo do ponto de vista social, familiar, do eu e do outro e da solidão de si mesmo”, afirma a curadora.

“Tem uma frase dela que diz: ‘Eu vou ao encontro do que me espera’. E cada artista foi ao encontro da Clarice que o esperava. Cada olhar encontrou um de seus mistérios: uns descobriram que liberdade é pouco, outros que adoram voar. Às vezes uma frase ou um conto, uma indagação ou uma imagem sugerida são o ponto de partida para mais questionamentos”, conclui Isabel Portella.

Inspirados em textos da escritora, 20 artistas atuantes no cenário carioca apresentam seus trabalhos, que vão desde pinturas acrílicas, aquarelas, fotografias e fotomontagens a uma performance com um vestido que vai ser usado pela atriz Giovanna Ewbank no dia da abertura. Na área externa, uma grande instalação montada pelo grupo “Aluga-se”, composto por dez artistas, vai ocupar o coreto, com móveis e objetos que fazem referência aos poemas de Clarice. Leituras de textos também estão previstas na programação, que fica aberta à visitação até o dia 10 de março de 2017.

Obra de Pedro Gandra para a exposição Somos Todos Clarice

Artistas participantes
Adrianna Eu, Ana Teixeira, Alessandro Sartore, Bianca Madruga, Claudia Hersz, Denise Adams, Grupo Aluga-se, Joaquim Paiva, Jozias Benedicto, Julia Debassi, Katia Wille, Laura Gorski, + Renata Cruz, Leila Danzinger, Letícia Tandetta, Manoel Novello, Maria Fernanda Lucena, Mariana Guimarães, Panmella Castro, Piti Tomé, Pedro Gandra, Raul Leal, Regina Vater, Thais Beltrame, Virginia Paiva

Trabalho de Joaquim Paiva inspirado nos textos de Clarice Lispector

Clarice: Antiga Vizinha
Clarice Lispector já foi vizinha do Palácio do Catete, que abriga o Museu da República desde 1970. Em 1940, após a morte de seu pai Pedro Lispector, Clarice e sua irmã Elisa se mudam para a residência da irmã Tania, que se casara em 1938 com William Kaufmann, situada à Rua Silveira Martins, na vila chamada de Condomínio Bairro Saavedra, vizinha ao hoje museu. Neste período a escritora, que já havia tido um conto seu publicado em um jornal semanário, estava se dedicando fortemente à escrita.

SERVIÇO
Exposição: Somos todos Clarice
Aberto ao público: até 10 de março de 2017
Galeria do Lago, Museu da República
Rua do Catete, 153, Catete, Rio de Janeiro
Telefone: (21)2127-0334
Horário de funcionamento:
De terça a sexta das 10h às 12h e das 13h às 17h
Aos sábados, domingos e feriados das 13h às 18h
Entrada franca
Classificação: Livre

Fonte: Revista Museu

COMPARTILHAR
Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar



COMENTÁRIOS