Didier Franco

Motivo
Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.
– Cecília Meireles, em “Viagem”. Obra poética. Rio de Janeiro: José Aguilar, 1967.

Ouça o poema “Motivo”, de Cecília Meireles, musicado e interpretado por Fagner

“…Liberdade, essa palavra
que o sonho humano alimenta
que não há ninguém que explique
e ninguém que não entenda…”
– Cecília Meireles, em “Romanceiro da Inconfidência”. 1953.

Saiba mais sobre Cecília Meireles:
Cecília Meireles – poemas e outros versos
Cecília Meireles – vida e obra
Cecília Meireles – fortuna crítica
Cecília Meireles – batuque, samba e macumba
Cecília Meireles – poesia para crianças

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar

COMENTÁRIOS