Femme dancers des ouled-nails

Se vamos começar a explorar as danças folclóricas árabes existem muitas formas de organização possíveis. Por país de origem, por estilo, por ritmo, cronologicamente. Mas qualquer das formas que possamos escolher, começar pelo começo é sempre a melhor alternativa.

E, por conta disso, o ponto de início mais adequado parece ser com as mulheres ouled nails.

Os Ouled nail são um povo semi-nômade que vive na Argélia e que, apesar de todo o processo de modernização e globalização, mantêm até hoje seu modo de vida e sua cultura quase intocados. Sobrevivem do cultivo de grãos, um pequeno rebanho de animais, de trocas no mercado das cidades próximas e, o que nos interessa mais, de exibições da sua música e dança.

Tradicionalmente, embora essa prática tenha se adaptado um pouco aos tempos modernos, as mulheres do povo ouled nail são ensinadas a dançar e tocar instrumentos desde muito novas e, quando alcançam certa idade vão para as cidades se apresentar na rua em troca de dinheiro. Dinheiro este que elas juntam para voltarem para sua tribo com um bom dote e se casarem, ou, alternativamente, para se manterem na cidade e recepcionar as meninas mais jovens que chegam depois delas.

Elas são, portanto, as primeiras mulheres que conhecemos a terem a dança e música oriental como trabalho.

Hoje em dia elas continuam indo buscar dinheiro nas cidades através de sua cultura e sua arte, no entanto, hoje é mais comum que elas usem esse dinheiro para a manutenção de suas famílias, sem uma vinculação direta com a formação de um dote para casamento.
É interessante atentar a alguns detalhes da dança e vestimenta das ouled nails, uma vez que estes se tornaram “lugar comum” no que conhecemos hoje como danças árabes e orientais.

O primeiro dos exemplo são os tão comuns xales de moedas. Conforme as mulheres ouled nails iam ganhando seu dinheiro no passado, afim de se protegerem de roubos, elas costuravam as moedas em suas roupas, especialmente formando cintos e enfeitando seus véus e chapéus.

Também parece vir delas o costume muito popular em alguns países, de jogar dinheiro ou prendê-lo na roupa das dançarinas enquanto estas se apresentam. Todas e todos nós já vimos em algum vídeo de dança uma pessoa se aproximar da dançarina e jogar notas de dinheiro sobre ela enquanto ela se apresenta. Aqui no Brasil isso não costuma acontecer, mas em países árabes e do norte da África é bastante corriqueiro presentear as dançarinas com dinheiro ou jóias.

A dança das mulheres ouled nails é marcada por movimentos fortes, intensos, grandes e rápidos, especialmente de quadril, ombros e cabeça. É uma dança pesada, bem presa ao chão, não existe ainda a sofisticação e a leveza dos braços e pernas. Até os deslocamentos tem uma intenção para baixo, para o solo.

O primeiro vídeo abaixo é uma filmagem original, de 1902, de verdadeiros ouled nails se apresentando, obviamente o som do vídeo não é o original, mas nos dá uma boa ideia do tipo de música deste povo.

Já o segundo vídeo é uma das coreografias apresentadas no Espetáculo Min Zaman, de 2012, feito por Rhamza Alli – Escola e Companhia de danças árabes, de Londrina, Paraná. Nesta montagem as dançarinas Alejandra e Elis fazem uma representação desta cultura com bastante fidelidade aos passos, ritmo, estilo e vestimentas.

Vocês já conheciam o povo ouled nail? Já assistiram ou participaram de alguma montagem que representou a música e dança dessa população? Deixem seus comentários e links para vídeos nos comentários. Vamos fazer o conhecimento girar!

* Nati Alfaya, dançarina árabe com 10 anos de estudo e prática, parte do grupo Caravana Lua do Oriente – Companhia de Danças Árabes, sediado em Londrina, Paraná, escreve sobre as danças árabes em suas diversas formas tendo um amor especial pelos folclores.

Facebook:  Caravana Lua do Oriente

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar

COMENTÁRIOS