Egyptian Nubian dance

O povo núbio é bastante diferente do restante do povo egípcio, negros de traços finos, bastante altos e muito mais liberais e abertos que os demais egípcios. Habitam uma região, a Núbia, que se estende pelo sul do Egito (a partir da cidade de Aswan) e norte do Sudão (até a cidade de Khartum). Uma região desértica com pouco potencial para agricultura, mas que abriga um povo alegre, festivo e que adora se enfeitar e celebrar todas as dádivas que recebe.

A relação entre núbios e egípcios sempre foi próxima, havendo períodos na história em que o Egito dominou a região núbia, e outros em que foram os núbios quem dominaram o Egito, por exemplo, na 25ª Dinastia faraônica, também conhecida como Dinastia Núbia.
A região núbia é rica em minérios como ouro, pedras preciosas e o diorito com um vale bastante estreito se comparado a regiões mais ao norte, o que sempre manteve sua população relativamente menor.

Obviamente que todas essas características se refletem na cultura núbia, especialmente na sua forma de vestir, música e dança.

A dança núbia é simples e alegre, movimentos fluidos, relaxados e até despretensiosos, além de muitas vezes imitarem movimentos de animais. Por ser um povo mais aberto, tanto homens quanto mulheres dançam juntos, sem grandes divisões a respeito de passos ou acessórios apropriados para um ou para outro, mas obviamente que o humor da dança muda um pouco se é um homem ou uma mulher dançando.

Dança Nubia

Existem muitas tribos núbias, cada uma delas com suas danças e músicas específicas, embora guardem semelhanças entre si. Entre essas modalidades de danças núbias, podemos destacar:

– GAFALE = É o estilo mais conhecido entre as bailarinas e os bailarinos, e é comumente a representada em palcos e espetáculos.
– FLÓRIDA = Caracterizada por coreografias repetitivas, que são dançadas virando para cada direção (frente, trás, direita e esquerda) em cada repetição, usualmente em grupos.
– TAMBURA = A palavra tamboura significa pandeiro, nessa dança os homens tocam grandes pandeiros de mais ou menos 50 cm de diâmetro.
– HAMAMA DANCE = Também conhecida como “dança do pombo”. Essa dança é caracterizada pelas mulheres vestidas inteiramente de branco e que dançam imitando os movimentos de cabeça e asas daquela ave.
– RAKSAT EL RICH = Chamada também de “dança das penas”, uma vez que os bailarinos e as bailarinas dançam com grandes leques de penas nas mãos e com bastões com guizos usados para marcar o ritmo.

Assim como a dança Hagallah, as danças núbias são danças kaff, ou seja, usam as batidas de mãos para ritmar a dança, isso fica bastante claro no vídeo abaixo.

A música núbia é bastante característica, usualmente ela fala de amor, amizade e gratidão pelas coisas boas da vida, ritmos simples de serem tocados e seguidos, principalmente o Ayub (D + KD + k).

As escolhas de vestimenta desse povo são guiadas pelo clima. A região núbia é desértica e muito quente durante todo ano, portanto as roupas são de tecidos leves, mas cobrem todo o corpo para proteger do sol.

Os homens usam gelbabs, que são como túnicas que podem ser longas ou mais curtas, com calças saruel por baixo, um colete até a altura da cintura por cima e o ta’iyya ou mita, que são toucas feitas de crochê com ou sem um turbante branco por cima. Tanto as barras da túnica, como o colete e calças podem ser coloridas e bordadas.

Já as mulheres núbias usam longos vestidos ajustados no busto e que vai ampliando gradativamente feitas de camadas de tecidos coloridos ou pretos, sobreposta com uma camada transparente ou rendada por cima, chamado gurgar. Estes vestidos terminam na altura do tornozelo na frente e são mais longos atrás e no dia-a-dia são bordados com miçangas ou pedraria, mas sem brilho, com padrões de flores, pássaros e outros elementos da natureza. Na cabeça, as mulheres usam longos véus que vão até os pés que podem ser enrolados no pescoço para proteger a pele do sol ou mesmo segurados pelas pontas para valorizar os movimentos na dança.

As mulheres núbias são conhecidas também por estarem sempre enfeitadas, inclusive, em dias de celebrações ou festas, elas usam todos os seus acessórios ao mesmo tempo, independente de cores ou estilos, elas se cobrem com todas as joias e enfeites que possuem.

No vídeo abaixo conseguimos ver todas as características mais marcantes da dança núbia. Embora um pouco longo, a apresentação vale muito a pena pela riqueza de detalhes e deslocamentos criativos. No meio da apresentação há um momento, inclusive, em que os homens fazem a kaff, as palmas bem marcadas e rítmicas.

* Nati Alfaya, dançarina árabe com 10 anos de estudo e prática, parte do grupo Caravana Lua do Oriente – Companhia de Danças Árabes, sediado em Londrina, Paraná, escreve sobre as danças árabes em suas diversas formas tendo um amor especial pelos folclores.

Outros textos de Nati Alfaya:
Nati Alfaya (textos e ensaios)

Facebook: Caravana Lua do Oriente 

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar

COMENTÁRIOS