João Ubaldo Ribeiro

O escritor João Ubaldo Ribeiro faria 76 anos nesta segunda, 23 de janeiro.

O ilustre integrante da cadeira nº 34 da Academia Brasileira de Letras – ABL era conhecido pelos amigos pela famosa voz de barítono e um humor fantástico. Parecia estar sempre alegre, mesmo quando fazia suas oportunas críticas sociais. Espírito crítico que levou para seus livros e colunas diárias nos jornais. Um baiano que fazia questão de retratar o povo brasileiro.

João Ubaldo Ribeiro – jornalista, romancista, cronista e professor brasileiro – nasceu em Itaparica, Bahia, no dia 23 de janeiro de 1941, na casa de seus avós, e faleceu em 18 de julho de 2014, no Rio de Janeiro, vítima de uma embolia pulmonar.

Seu primeiro romance foi publicado em 1963, intitulado Setembro não tem sentido, e após voltar dos EUA, onde cursou mestrado em Administração Pública, na Universidade da Califórnia, publicou o livro que lhe concedeu o Prêmio Jabuti, em 1972, na categoria “Revelação de autor”, o romance Sargento Getúlio (1971), que mais tarde foi adaptado para o cinema, tendo sido também premiado, assim como outras obras de Ubaldo adaptadas para o cinema e televisão.

Em 1982 inicia o romance Viva o povo brasileiro (intitulado primeiramente como Alto lá, meu general), publicado apenas em 1984, quando recebe o Prêmio Jabuti na categoria “Romance” e o Golfinho de Ouro, do Governo do Rio de Janeiro.

Em 2008, João Ubaldo, ganhou o Prêmio Camões, o mais importante prêmio da língua portuguesa, atribuído aos autores que tenham contribuído para o enriquecimento do patrimônio literário e cultural da língua portuguesa.

 Todo mundo tem medo, mas a pessoa não pode ser medrosa. Para viver e fazer, é necessário manter uma coragem constante e acesa. Isto consiste em vencer a própria pequenez e é um dever e uma obrigação para com nós mesmos.

— João Ubaldo Ribeiro, no livro “Política”. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010

 — Parece bobagem, mas não é! Temos de ser tudo, mas antes temos de ser nós, entendeu?

— João Ubaldo Ribeiro, no livro “Viva o povo brasileiro”. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2008

 

Obras de João Ubaldo Ribeiro*
:: Setembro não tem sentido –  romance, 1968.
:: Sargento Getúlio – romance, 1971.
:: Vence cavalo e o outro povo – conto, 1974.
:: Vila real – romance, 1979.
:: Livro de histórias – conto, 1981.
:: Política: Quem manda, porque manda, como manda – ensaio, 1981.
:: A vida a paixão de Pondonar, o Cruel – literatura infantil, 1983.
:: Viva o povo brasileiro – romance, 1984.
:: Sempre aos domingos – crônica, 1988.
:: O sorriso do lagarto – romance, 1989.
:: A vingança de Charles Tiburane – infanto juvenil, 1990.
:: Um brasileiro em Berlim – crônica, 1995.
:: O feitiço da Ilha do Pavão – romance, 1997.
:: Arte e ciência de roubar galinhas – crônica, 1999.
:: A casa dos Budas ditosos – romance, 1999.
:: Miséria e grandeza do amor de Benedita – romance, 2000.
:: O conselheiro come – crônica, 2000.
:: Dia do farol – romance, 2002.
:: A gente se acostuma a tudo – crônica, 2006.
:: O rei da noite – crônica, 2008.
:: O albatroz azul – romance, 2009.
:: Dez bons conselhos de meu pai – infanto juvenil, 2011.

* Editora Objetiva

COMPARTILHAR
Revista Prosa Verso e Arte
Literatura - Artes e fotografia - Educação - Cultura e sociedade - Saúde e bem-estar



COMENTÁRIOS